UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: GEANE CONCEIÇÃO CARVALHO
13/09/2018 10:31


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GEANE CONCEIÇÃO CARVALHO
DATA: 21/09/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Mini auditório do P²CEM
TÍTULO: PREPARAÇÃO, CARACTERIZAÇÃO E AVALIAÇÃO BIOLÓGICA DE ARCABOUÇOS 3D DE ALGINATO, FIBROÍNA E HIDROXIAPATITA PARA REGENERAÇÃO TECIDUAL ÓSSEA.
PALAVRAS-CHAVES: Arcabouços tridimensionais biodegradáveis; regeneração tecidual óssea; alginato de sódio (AS); fibroína da seda (FS); hidroxiapatita (HA); difração de raios X.
PÁGINAS: 93
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Pesquisas recentes na bioengenharia permitem a produção de arcabouços tridimensionais biodegradáveis, para atuarem como suporte temporário na regeneração tecidual óssea. Nessa perspectiva, foi produzido, caracterizado e avaliado o comportamento in vitro de arcabouços 3D porosos, à base de alginato de sódio (AS), fibroína da seda (FS) e hidroxiapatita (HA), em diferentes proporções: grupo I: AS (100 % em massa), grupo II: AS/FS/HA (25:25:50 % em massa), grupo III: AS/FS/HA ( 50:25:25 % em massa), grupo IV: AS/FS/HA (35:35:30 % em massa), com o propósito de avaliar a influência desses compósitos, frente às células das linhagens MC3T3-E1 e MG-63. Análises físico-químicas foram realizadas através de espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier e difração de raios X, a fim de demonstrar a interação física dos materiais no compósito. Além disso, o comportamento de degradação térmica dos arcabouços foi estudado, por análise termogravimétrica e calorimetria exploratória diferencial, que forneceu compreensão dos possíveis eventos térmicos ocorridos. Alterações morfológicas e análises de microestrutura foram observadas em ensaio de bioatividade e por microtomografia computadorizada respectivamente. Concluímos que os compósitos produzidos com as percentagens 35% AS 35% FS e 30% HA, possuem uma composição topográfica e de microestrutura, capazes de promover adesão, proliferação e diferenciação osteogênica, de forma mais eficaz, como verificado por ensaios biológicos. Os arcabouços foram considerados biocompatíveis sendo, portanto, viáveis para utilização como suportes na regeneração do tecido ósseo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2080292 - CRISTIANE XAVIER RESENDE
Interno - 1694103 - EULER ARAUJO DOS SANTOS
Presidente - 2326669 - LUIS EDUARDO ALMEIDA
Externo ao Programa - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES
Externo à Instituição - ROSSANA MARA DA S. MOREIRA THIRÉ

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69