UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: AMANDA ALMEIDA SILVEIRA SOBRAL
28/08/2018 15:01


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA ALMEIDA SILVEIRA SOBRAL
DATA: 30/08/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Miniauditório do CCBS - Campus São Cristóvão
TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM SISTEMA AUTOMATIZADO NA MONITORIZAÇÃO DE SINAIS VITAIS EM PACIENTES DE CUIDADOS INTENSIVOS
PALAVRAS-CHAVES: monitorização fisiológica; Sinais vitais; cuidados críticos
PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem Médico-Cirúrgica
RESUMO:

O Conselho Federal de Enfermagem (2004), através da Resolução 293/2004 define pacientes de cuidados intensivos como pacientes graves e recuperáveis, com risco iminente de morte, sujeitos à instabilidade das funções vitais o que exige que eles necessitem de assistência de enfermagem e médica permanente e especializada. Atualmente, os métodos comumente utilizados para verificação de sinais vitais nos centros de saúde exigem uma programação de verificações feita pelo profissional em um intervalo de tempo determinado conforme condição clínica do paciente, os quais o profissional faz a mensuração manualmente, na maioria das vezes.

A tecnologia que subsidia o cuidado pode, diante de novas descobertas, tornar-se obsoleta. No entanto, o cuidado ao ser humano jamais será obsoleto. Portanto, justifica-se o investimento em tudo aquilo que convier para a melhoria do cuidado prestado (MARIN, 2015). Nesse contexto da tecnologia em saúde, surge um sistema automatizado o qual oferece a possibilidade de coleta contínua dos sinais vitais humanos, além de permitir coleta programada e detalhada em intervalo de tempo ajustável conforme as condições clínicas dos pacientes. Tal sistema, conhecido como Smartcare, é resultado de uma pesquisa realizada recentemente na Universidade Federal de Sergipe (UFS) (ANDRADE, 2016).

Esta pesquisa justifica-se pelo fato de que o uso da tecnologia de informação e comunicação na realização do processo de enfermagem permite ao profissional uma prática mais segura e mais eficiente, além de que pode contribuir para uma maior aproximação e formação de vínculo entre paciente e profissional, uma vez que o uso da tecnologia permite que este consiga desempenhar suas funções com um melhor aproveitamento do seu tempo. Dessa forma tem-se como objetivo geral Avaliar a utilização de um sistema automatizado no processo de monitorização de sinais vitais em pacientes de cuidados intensivos. Para tanto, será realizada uma pesquisa metodológica aplicada, de campo com abordagem quantitativa. Consiste em uma pesquisa de campo, pois ocorrerá em um ambiente hospitalar. Este estudo adotará uma abordagem quantitativa devido à natureza dos dados que serão coletados (GIL, 2010). A coleta de dados acontecerá na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário (HU) da Universidade Federal de Sergipe. O hospital está localizado na Rua Cláudio Batista, S/N, Bairro Sanatório, Aracaju/SE.

Os dados serão coletados utilizando um formulário e um questionário. Por meio do formulário (apêndice B) serão registrados os sinais vitais dos pacientes utilizando os métodos tradicionais e o método automatizado, no caso, o Sistema Smartcare. Para mensurar a usabilidade do Sistema Smartcare na percepção dos profissionais de enfermagem, será utilizado um questionário (apêndice C). A população da pesquisa será representada por pacientes internados na UTI do HU, bem como por profissionais de enfermagem, ambos que atendam aos critérios de inclusão descritos a seguir. Tanto a amostragem dos pacientes quanto a dos profissionais de enfermagem será do tipo não probabilística e intencional.

De posse das informações colhidas, estas serão analisadas por meio de análise estatística descritiva. Serão calculadas frequências absoluta e relativa, média e desvio padrão, e coeficiente de confiabilidade. Os resultados serão apresentados em tabelas e quadros e/ou gráficos.

Os pacientes que concordarem em participar da pesquisa ou o seu responsável assinarão o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (apêndice A). Será assegurado a eles o direito de acesso aos dados da pesquisa bem como o direito de autonomia para desistência da pesquisa a qualquer momento se assim decidir.

O uso do equipamento do Sistema Smartcare apresenta, para o paciente, risco de ocorrência de lesão devido ao contato constante do sensor com a pele do paciente. Tal risco é aumentado na presença de umidade ou fixação apertada.

A fim de minimizar esses riscos, constantemente será avaliado a pele do paciente em contato direto com o equipamento, bem como será feito rodízio do local de fixação e controle da fixação e umidade local.

Participar da pesquisa oportuniza ao paciente o benefício da obtenção da monitorização dos seus sinais vitais de forma automatizada e, praticamente, ininterrupta. Destaca-se que o uso do Sistema Smartcare não anulará os métodos de verificação de sinais vitais padrão do setor e nem interfere nos mesmos.

Destaca-se o benefício de conhecer e aprender a manipular um método de monitorização de sinais vitais automatizado que pode auxiliá-lo na sua prática profissional tornando-a mais segura e mais eficiente e que, acredita-se, estar disponível para comercialização em futuro próximo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2685432 - ADICINEIA APARECIDA DE OLIVEIRA
Interno - 6426549 - ANA CRISTINA FREIRE ABUD
Interno - 2449971 - LEILA LUIZA CONCEICAO GONCALVES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5