UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: ALINE CARVALHO PEIXOTO
24/08/2018 14:52


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALINE CARVALHO PEIXOTO
DATA: 28/08/2018
HORA: 14:00
LOCAL: SALA RUTE/HU
TÍTULO: Impacto do clareamento dental de consultório com peróxido de carbamida a 37% na mudança de percepção dos pacientes com o sorriso, alteração de cor e sensibilidade pós-operatória: ensaio clínico controlado randomizado simples-cego.
PALAVRAS-CHAVES: Estética Dentária. Clareamento Dental. Agentes Clareadores Dentários. Ensaio clínico controlado randomizado.
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia do agente clareador peróxido de carbamida a 37%, utilizado na técnica de consultório, sobre a mudança de cor dental e o risco à sensibilidade, quando comparado ao peróxido de hidrogênio a 35%. Quarenta pacientes foram alocados para receber duas sessões de clareamento dental de consultório, utilizando peróxido de hidrogênio a 35% (PH) ou peróxido de carbamida a 37% (PC) (n = 20). O impacto do clareamento dental na percepção dos pacientes em relação à mudança da satisfação com o seu sorriso, e sobre os procedimentos de clareamento e seus resultados, foram avaliados. O nível de sensibilidade dos pacientes foi registrado durante e até 24 horas após o clareamento. A eficácia dos procedimentos clareadores foi medida com um espectrofotômetro uma semana após cada sessão e 30 dias após a última. A sensibilidade dentária foi avaliada por meio das escalas verbal e visual analógica (EVA). Foram calculados os riscos absoluto e relativo à sensibilidade. Os dados sobre o nível da sensibilidade foram analisados pelo teste T ou Mann-Whitney. Os dados da avaliação da cor (ΔL*, Δa*, Δb* e ΔE) foram individualmente submetidos à ANOVA de 2 fatores para medidas repetidas seguido pelo Teste de comparações múltiplas de Tukey. Foi observado um menor risco e nível de sensibilidade dentária para o PC, apresentando valores próximos à zero, enquanto que a diferença entre os agentes clareadores desapareceu após 24 horas. Um maior efeito clareador foi observado para o PH, principalmente devido a maior redução do vermelho e amarelo. Os participantes perceberam melhor clareamento dental para o PH e menor sensibilidade para o PC, mas não foram observadas diferenças quanto ao conforto das técnicas. Concluiu-se que o PC resultou em menor sensibilidade dentária, mas também menor eficácia do clareamento dentário. No entanto, ambos os agentes clareadores resultaram em altos níveis de satisfação dos pacientes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1776684 - ANDRE LUIS FARIA E SILVA
Externo ao Programa - 2088482 - ALAIDE HERMINIA DE AGUIAR OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1488964 - ADRIANO AUGUSTO MELO DE MENDONCA
Externo à Instituição - LUIS FELIPE JOCHIMS SCHNEIDER
Externo à Instituição - GIULLIANA PANFIGLIO SOARES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5