UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 02 de Fevereiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LORENA XAVIER CONCEIÇÃO SANTOS
23/08/2018 08:56


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENA XAVIER CONCEIÇÃO SANTOS
DATA: 31/08/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Prodema
TÍTULO: Agravos ocupacionais como fator de insustentabilidade na atividade de mariscagem: Um estudo de caso em Sergipe.
PALAVRAS-CHAVES: Pesca artesanal, comunidade tradicional, saúde ocupacional, doenças do trabalho, sustentabilidade socioambiental.
PÁGINAS: 28
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

O ato de trabalhar, além de ser o meio de prover o sustento pecuniário necessário para a sobrevivência do corpo físico, é também o meio para manutenção de uma mente sadia. Porém, dependendo de como, quanto e onde estes ofícios forem realizados, poderá também o trabalho ser promotor de infortúnios, ser a origem de enfermidades ou o responsável pelo agravamento de doenças pré-existentes, devendo assim haver vigilância e adequamento dos postos de trabalho. O presente trabalho tem como motivação explorar o universo ocupacional das marisqueiras da Ilha fluvial de Mém de Sá, localizada no estuário do Rio Vaza Barris, dentro dos limites do município de Itaporanga D’Ajuda, estado de Sergipe. Vivenciar o modo de trabalho e a vida destas mulheres torna-se, portanto, parte fundamental para compreensão e mensuração de possíveis agravos à saúde física e mental dessa classe trabalhadora. Esta, passa a ser uma importante forma de criação de medidas preventivas e protetivas, com foco no diagnóstico precoce, tratamento e se possível, reabilitação dos indivíduos que apresentam algum grau de enfermidade ocupacional. Apesar da pesca artesanal ser uma atividade econômica que exerce significativo papel na economia brasileira, muitos dos sujeitos sociais envolvidos nestas tarefas são invisíveis nas esferas clinico-epidemiológicas e institucionais na saúde do trabalhador. Para tanto, esta tese de doutoramento tem como objetivo geral, mensurar o grau de sustentabilidade nas atividades ocupacionais desenvolvidas pelas marisqueiras, a partir da relação custo-benefício X lucro-saúde, baseados nos princípios da Saúde e Segurança Ocupacional. O trabalho utilizará dados quali-quantitativos para o desenvolvimento de um estudo epidemiológico com foco na saúde coletiva de marisqueiras, seguindo o seguinte percurso metodológico: abordagem etnográfica através de observação direta e entrevistas semiestruturadas, snowball e entrevistas estruturadas após criação de grupos focais, e levantamento de dados através de pesquisa documental realizada na colônia de pescadores Z 9. Dados qualiquantitativos acerca da Higiene Ocupacional serão coletados, a partir da aferição de riscos ambientais relacionados ao trabalho proposto Portaria MTb n. º 3.214, de 08 de junho de 1978, através da NR-09. As variáveis observadas relacionadas aos riscos ambientais serão: temperaturas extremas (frio, calor), velocidade do vento, luminosidade, vibração e ruído e análise físico-química e bacteriológica da água dos pontos onde existe a catação dos pescados. O trabalho apresenta relevância científica e social, pois se debruça no universo da saúde ocupacional voltada para trabalhadores informais, que por este motivo, são invisíveis socialmente, no ponto de vista previdenciário. A valorização dos saberes e do trabalho artesanal e tradicional desenvolvido na Ilha de Mém de Sá precisa ser verificado, a fim de promover melhorias relacionados a aplicação de medidas de controle de riscos ambientais e de acidentes ligados a pesca artesanal de mariscos, aprimorando assim, as técnicas e práticas já utilizadas pela comunidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Externo ao Programa - 1922531 - ROBERTO DOS SANTOS LACERDA
Externo à Instituição - RODRIGO GALLOTTI LIMA
Externo à Instituição - VANINA CARDOSO VIANA
Externo à Instituição - DANIELLE THAÍS BARROS DE SOUZA LEITE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18285-05ee143cb2