UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SAVIL COSTA VAEZ
09/08/2018 14:55


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAVIL COSTA VAEZ
DATA: 24/08/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Mini Auditório do DME/HU
TÍTULO: EFEITO DA APLICAÇÃO TÓPICA DE DIPIRONA NA REDUÇÃO DA SENSIBILIDADE DENTAL CAUSADA PELO CLAREAMENTO DE CONSULTÓRIO: ESTUDO CLÍNICO RANDOMIZADO, CONTROLADO, TRIPLO CEGO E MULTICÊNTRICO.
PALAVRAS-CHAVES: Clareamento Dental. Dipirona. Sensibilidade da dentina.
PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Odontologia
RESUMO:

Introdução: Apesar de apresentar efetividade clínica na obtenção de cor satisfatória, a sensibilidade dentária (SD) é comumente reportada pelos pacientes durante e após o clareamento de consultório. Assim, este estudo avaliou a efetividade do uso da dipirona sódica tópica em comparação com um placebo no risco e intensidade de SD decorrente do clareamento dental. Método: Este foi um ensaio clínico randomizado, controlado, triplo-cego, com desenho de boca repartida, com 120 participantes alocados em três centros de pesquisa. Os participantes receberam aplicação tópica de um gel dipirona e placebo (um tratamento em cada lado do arco superior) 10 minutos antes da aplicação de peróxido de hidrogênio a 35% (duas sessões clínicas) por 45 minutos (3 x 15 minutos). A SD foi registrada em duas escalas de dor: Escala Visual Analógica - EVA (0-10cm) e Escala verbal (0-4) durante e até 48 horas após os procedimentos de clareamento. A avaliação das mudanças de cor dos dentes foi realizada um mês após a última sessão de clareamento com duas escalas visuais (Vita Classical e Vita Bleachedguide 3D-Master) e um espectrofotômetro portátil (Easyshade). Para a escala verbal, dados de risco e nível de SD foram analisados pelos testes de McNemar e Wilcoxon, respectivamente. Dados da escala EVA foram submetidos a ANOVA de um fator e teste T, que também foi usado para comparar as mudanças de cor entre os tratamentos (α = 0,05). Resultados: O uso da dipirona não afetou o risco a sensibilidade (p= 0,92). Não houve diferença significativa quanto à intensidade da SD em todos os tempos de avaliação, exceto em uma hora pós-clareamento na escala verbal (p = 0,02). Observou-se efeito clareador de aproximadamente quatro unidades nas escalas de cor, e um ΔE de aproximadamente seis unidades, independente do tratamento prévio. Conclusão: O uso tópico preemptivo de dipirona não alterou risco e a intensidade da SD induzida pelo clareamento dental de consultório.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3007440 - GISELE PEDROSO MOI
Externo ao Programa - 1694366 - MARIA AMALIA GONZAGA RIBEIRO
Externo ao Programa - 426368 - ROSA MARIA VIANA DE BRAGANCA GARCEZ

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77