UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: SHEILA DE ARAÚJO BARBOZA
02/08/2018 09:05


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SHEILA DE ARAÚJO BARBOZA
DATA: 23/08/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: TRANSTORNOS DE HUMOR, ANSIEDADE E RISCO DE SUICÍDIO EM PACIENTES RENAIS CRÔNICOS.
PALAVRAS-CHAVES: Ansiedade. Transtorno depressivo. Ideação suicida. Diálise renal. Metanálise.
PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

É referido na literatura alta prevalência de sintomas de ansiedade, depressão e risco de suicídio em pacientes com doença renal crônica (DRC) em diálise comprometendo a qualidade de vida, aumentando as taxas de hospitalizações e de mortalidade. Tais estudos se concentram no rastreamento de sintomas necessitando confirmação diagnóstica. O alto número de pacientes adoecidos demanda intervenções terapêuticas com evidências clínicas para a redução de sintomas dessas psicopatologias. OBJETIVOS: Determinar a frequência de transtornos de humor e de ansiedade; avaliar risco de suicídio; investigar associações entre resultados diagnósticos com fatores clínico-demográficos; definir os efeitos de intervenções não farmacológicas em pacientes com sintomas depressivos em hemodiálise. CASUÍSTICA E MÉTODO: Estudo transversal, realizado entre abril e julho de 2017, em Aracaju-SE, com 192 adultos em diálise (142 em hemodiálise [HD]; 50 em diálise peritoneal [DP]), selecionados por meio de tabela de números aleatórios, sem comprometimentos cognitivos e sem diagnóstico prévio de ansiedade ou depressão. Utilizou-se o instrumento Mini International Neuropsychiatric Interview Plus versão brasileira 5.0 para diagnóstico psicológico dos transtornos do humor, ansiedade e avaliar risco de suicídio. Foi realizada revisão sistemática e metanálise seguindo o protocolo de Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA) e ferramenta Cochrane para detecção de vieses nos estudos. Utilizou-se estudos clínicos randomizados com intervenções não farmacológicas em pacientes renais em HD com sintomas depressivos. RESULTADOS: Em média, os pacientes tinham 49 anos e estavam em diálise há 62 meses. Diagnosticou-se ao menos um transtorno mental em 78 indivíduos (41%) e metade deles apresentaram dois ou mais distúrbios. Entre os que apresentaram transtorno de humor atual e no passado foram mais frequentes os transtornos depressivos (episódio depressivo maior e distimia), com 17 indivíduos (9%) com sintomas atuais e 38 (20%) no passado. Em transtornos de ansiedade foram reunidos os subtipos diagnosticados, totalizando 31 pacientes (16%). O risco de suicídio estava presente em 37 pacientes (19%). Depressão no passado (OR=2.82 [1.27; 6.26]), depressão atual (OR=20.45 [6.16; 67.93]) e ansiedade (OR=4.12 [1.79; 9.5]) se associou significativamente a maior risco de suicídio. Na metanálise foram incluídos 11 estudos com 321 participantes do grupo de intervenção e 347 do grupo controle. As intervenções psicossociais e o acompanhamento dos pacientes por enfermeiros por meio de telefone (telenursing) apresentaram moderado e alto efeito, respectivamente, na redução dos sintomas depressivos. CONCLUSÃO: Transtornos depressivos (atual e no passado) e ansiosos foram frequentes em pacientes em diálise e houve elevado risco de suicídio, especialmente quando os indivíduos foram acometidos desses transtornos. As intervenções psicossociais e telenursing demonstraram alta qualidade de evidência clínica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 3113466 - KLEYTON DE ANDRADE BASTOS
Interno - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI
Externo à Instituição - RICARDO AZEVEDO BARRETO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77