UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: DAVID CAMPOS ANDRADE
18/07/2018 16:10


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAVID CAMPOS ANDRADE
DATA: 31/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 01 do Polo de Gestão da UFS
TÍTULO: Diversidade de mosquitos (Diptera: Culicidae) no Bioma Caatinga e descrição de uma nova espécie de Toxorhynchites
PALAVRAS-CHAVES: Ecologia de vetores; biodiversidade; caatinga; semiárido; Culicidade
PÁGINAS: 76
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Informações sobre a riqueza de mosquitos na Caatinga são escassos, sendo encontrados poucos levantamentos para a família Culicidae neste bioma. Sendo assim, esse estudo teve o intuito de unificar inventários existentes em quatro Estados com o objetivo de averiguar as espécies de mosquitos adaptadas às restrições ambientais impostas pela Caatinga, analisando a composição e distribuição de espécies entre as comunidades. O trabalho está divido em dois capítulos, sendo o primeiro o inventário das espécies com ocorrência na Caatinga e o segundo a descrição de uma nova espécie do gênero Toxorhynchites Theobald 1901, subgênero Lynchiella Lahille 1904 encontrada na Caatinga durante a execução do projeto "Mosquitos da Caatinga". Foram registradas 81 espécies pertencentes a 14 gêneros para a Caatinga. As comunidades demonstraram altas taxas de variação, sendo o mecanismo de substituição o principal incriminado pelo padrão encontrado. Esse resultado pode ter relação com a ampla heterogeneidade ambiental do Bioma e as interações ecológicas de algumas espécies com seus criadouros específicos. As espécies com maior distribuição pertencem aos gêneros: Aedes, Anopheles, Psorophora, Haemagogus, Coquillettidiae e Mansonia, que são também de interesse médico. A espécie descrita no capítulo dois foi encontrada na Estação Ecológica Raso da Catarina na Bahia. A nova espécie, Tx. (Lyn.) caatinguensis, é uma espécie fitotélmica tendo como reservatório bromélias, foi classificada como pertencente a um complexo de espécies nomeado Tx. violaceus, sendo mais próxima morfologicamente da espécie Tx. (Lynchiella) mariae. O subgênero dessa forma passou a possuir 17 espécies atualmente catalogadas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 426682 - CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
Externo à Instituição - LETICIA SILVA MARTEIS
Presidente - 1516901 - ROSELI LA CORTE DOS SANTOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9