UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: OSMAR MAX GONÇALVES NEVES
17/07/2018 11:21


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: OSMAR MAX GONÇALVES NEVES
DATA: 30/07/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório do DFA
TÍTULO: Alterações Biopsicossociais e funcionais de pacientes com pé diabético
PALAVRAS-CHAVES: Pé diabético; Impacto Psicossocial; Depressão; Qualidade de vida; Capacidade Funcional
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O Diabetes Mellitus se caracteriza por ser um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que apresentam em comum a hiperglicemia, resultante de defeitos na ação da insulina, na sua secreção ou em ambas. Dentre as complicações do diabetes, o pé diabético surge como uma das mais devastadoras e principal causa de hospitalização chegando a corresponder a 85% das amputações não traumáticas que acometem até dois pacientes a cada minuto no mundo. Poucos estudos têm explorado os aspectos biopsicossociais dos pacientes que apresentam pé diabético. Assim, o objetivo desse estudo foi avaliar as alterações biopsicossociais, a qualidade de vida, independência funcional, prevalência de depressão e ansiedade em pacientes com pé diabético e identificar possíveis fatores de risco. Para tanto, foi realizado um estudo transversal, por meio de aplicação de questionários (sociodemográfico, HADS, Kats e Whoqol-Bref) em pacientes internados em um hospital terciário filantrópico de Aracaju-SE. A coleta desses dados foi realizada nos pacientes atendidos no serviço durante um período de 18 meses. As variáveis contínuas foram expressas pela média e desvio-padrão, enquanto os estudos de associação foram realizados utilizando o teste de Qui-quadrado. Dos 864 pacientes pesquisados, 200 atenderam os critérios de inclusão. A média de idade foi de 67 anos, sendo encontrado uma prevalência de 29% de depressão e 23% de ansiedade nos pacientes com pé diabético. Cerca de 31% dos indivíduos estudados apresentaram classificação A de Katz (independência funcional). A qualidade de vida geral determinada pelo Whoqol-Bref foi de 51,1, e entre os domínios, o domínio físico inserido ao aspecto psicossocial mostrou a menor média, igual a 32. Esse achado pode ser associado a baixa independência funcional encontrada em 31% dos pacientes. A menor qualidade de vida e prevalência elevada de ansiedade e depressão pode ser vista nos pacientes com pé diabético sendo observado ainda restrição funcional e pior estado psicossocial desses pacientes que devem possuir um acompanhamento multidisciplinar efetivo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Interno - 1315121 - DIVALDO PEREIRA DE LYRA JUNIOR
Externo à Instituição - ERIKA RAMOS SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69