UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: MONICA APARECIDA PEDROSO
16/07/2018 14:22


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MONICA APARECIDA PEDROSO
DATA: 30/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do Polo de Gestão da UFS
TÍTULO: ESTRUTURA DA TAXOCENOSE DE MORCEGOS (CHIROPTERA) DO MÉDIO RIO MADEIRA, PORTO VELHO, RO: UMA ABORDAGEM ECOLÓGICA E METODOLÓGICA
PALAVRAS-CHAVES: Quirópteros, Amazônia, diversidade, redes de neblina, sucesso de captura.
PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Dentre a notável variedade de mamíferos que vivem na Amazônia, os morcegos destacam-se pela diversidade de espécies e por sua importância ecológica. Até o momento foram descritas 146 espécies para o bioma, no Brasil. Nesse sentido, pesquisadores de todo o mundo vêm buscando melhores formas de coletar dados ecológicos e taxonômicos sobre o grupo. O conhecimento atual que se têm sobre a ecologia de morcegos remete em métodos e formas de estudos funcionais, mas que ainda precisam ser discutidos. Atualmente o principal método utilizado para a amostragem de quirópteros é o de redes de neblinas, sendo que, a maioria dos estudos, utilizando redes a nível do solo, foram realizadas com mais de uma noite de coleta em um mesmo ponto, com o esforço de seis horas (18:00-00:00) mais comumente empregado. A importância ecológica dos morcegos e a necessidade de melhorias nos métodos de captura, nos motivou a realizar este estudo contendo dois capítulos. O objetivo do capítulo 1 foi caracterizar a estrutura da taxocenose de quirópteros do Médio Rio Madeira, Rondônia, no que concerne à riqueza, composição e abundância de espécies, avaliando como essas métricas variam ao longo da paisagem ripária. Com um esforço de 9.020.160 h/m2 obtivemos um total de 4554 morcegos representantes de 66 espécies. Três espécies foram registradas pela primeira vez para o estado de Rondônia (Trinycteris nicefori Sanborn, 1949; Centronycteris maximiliani Fischer, 1829; Lampronycteris brachyotis (Donson, 1879) e uma (Chiroderma salvini) para o Brasil. Os frugívoros apresentaram a maior riqueza e abundância, seguidos dos insetívoros catadores e aéreos. A diferença em termos de abundância de espécies entre as margens esquerda e direita, foram significativas. A curva de rarefação apontou uma leve tendência para a estabilidade em Mutum margem esquerda e Caiçara margem direita, mostrando que novas espécies poderiam ser incrementadas caso houvesse o aumento do esforço de captura. A composição de espécies entre os módulos foi significativamente diferente, sendo a substituição e perda de espécies os mecanismos que moldaram de forma simultânea a estrutura da taxocenose de morcegos do Médio rio Madeira. O capítulo 2 buscou verificar a eficiência de aspectos metodológicos na captura de morcegos no que se refere a amostragens realizadas em noites consecutivas e a quantidade de horas amostrais em cada noite. Avaliando medidas de tendência central (medianas), ao invés de valores absolutos, diferenças significativas foram encontradas tanto em relação a abundância quanto a riqueza de espécies entre as três noites amostradas (1ª, 2ª e 3ª), com a primeira noite, sobressaindo-se em relação a segunda e terceira. Em outras palavras, há uma clara tendência de redução do sucesso de captura (riqueza e abundancia) ao longo de noites consecutivas em um mesmo local. Os nossos resultados mostraram ainda não haver ganhos significativos na riqueza que justifiquem a amostragem durante toda a noite, quando o intuito é acessar a diversidade local. No computo geral, apenas quatro espécies raras (D. glauca, U. magnirostrum, V. pusila, M. nigricans) foram acrescidas na segunda sessão, o que pode ter acontecido por simples acaso.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1819383 - ADRIANA BOCCHIGLIERI
Presidente - 1153037 - STEPHEN FRANCIS FERRARI
Externo à Instituição - VALÉRIA DA CUNHA TAVARES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9