UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: MARCEL OLIVEIRA ALVES
11/07/2018 10:48


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCEL OLIVEIRA ALVES
DATA: 30/07/2018
HORA: 15:00
LOCAL: DCOMP
TÍTULO: ARNeuro: Mobile Augmented Reality for Craniotomy Planning
PALAVRAS-CHAVES: Augmented Reality, Neurosurgery, Craniotomy, Mobile
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Ciência da Computação
SUBÁREA: Metodologia e Técnicas da Computação
ESPECIALIDADE: Processamento Gráfico (Graphics)
RESUMO:

Cirurgias minimamente invasivas tornaram-se importantes porque propiciam vários benefícios para o paciente, tais como redução do risco de infecção, menos dor, menor tempo de internação e recuperação mais rápida. Na neurocirurgia, a orientação por imagens é fundamental para a realização de uma cirurgia minimamente invasiva. Por esse motivo, os sistemas de neuronavegação tornaram-se cruciais para os neurocirurgiões. Enquanto as técnicas tradicionais para localização de craniotomia podem apresentar erros de mais de 10mm, os neuronavegadores proporcionam maior precisão, com erros menores do que 5mm.

Apesar de seu papel crucial nos procedimentos neurocirúrgicos, muitos cirurgiões afirmam que a usabilidade dos neuronavegadores tem que ser melhorada. Outros mencionam que os neuronavegadores são caros e inacessíveis em hospitais com poucos recursos. Nesse contexto, alguns pesquisadores sugeriram que soluções de realidade aumentada poderiam ser uma alternativa aos neuronavegadores. Os sistemas de realidade aumentada estão surgindo na neurocirurgia, alguns deles tentando fornecer melhor usabilidade do que os sistemas atuais de neuronavegação, e outros tentando fornecer uma solução mais barata e que possa ser facilmente adotada.

Neste trabalho, analisamos os avanços dos sistemas de realidade aumentadade de neuronavegação nos últimos anos. Percebeu-se que muitas soluções de realidade aumentada superam algumas das deficiências do neuronavegador, mas também trazem novos problemas. Essas abordagens de realidade aumentada podem ser caras e difíceis de serem adotadas, ou exigem muitas etapas pré-operatórias por parte do neurocirurgião, tornando-as indesejáveis para uso em casos reais.

Para resolver esses problemas, apresentamos um aplicativo para dispositivos móveis, chamado ARNeuro, que auxilia na localização da craniotomia. O ARNeuro é mais acessível e mais fácil de usar do que a maioria das abordagens de realidade aumentada. Além disso, o ARNeuro é um aplicativo independente, o que significa que não é necessário nenhum hardware ou software adicional, além do que já está disponível nos hospitais. Nossa solução utiliza Odometria Inercial Visual, através de um framework de realidade aumentada, para indicar o centro da região da incisão, sobreposta na cabeça do paciente, mostrada na tela do dispositivo. Nossos experimentos iniciais indicam que o ARNeuro é uma ferramenta promissora, com um erro médio geral menor do que 4,5mm. Apesar disso, o sistema ainda tem muitas limitações e sua acurácia precisa ser melhorada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1979373 - DANIEL OLIVEIRA DANTAS
Interno - 1365912 - EDUARDO OLIVEIRA FREIRE
Interno - 2527554 - HENDRIK TEIXEIRA MACEDO
Externo à Instituição - DAVID CORREA MARTINS JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5