UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ VALTER COSTA OLIVEIRA
11/07/2018 07:51


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ VALTER COSTA OLIVEIRA
DATA: 24/07/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Reuniões do Departamento de Nutrição/UFS, Campus São Cristóvão
TÍTULO: Consumo Alimentar, Adesão Terapêutica e Representações Sociais sobre o Tratamento da Hipertensão Arterial na Atenção Primária à Saúde
PALAVRAS-CHAVES: Adesão à medicação. Consumo Alimentar. Hipertensão Arterial Sistêmica. Estilo de Vida. Estratégia Saúde da Família.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

Introdução: A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é considerada um importante problema de saúde pública, sendo o número expressivo de insucessos terapêuticos um grande desafio para a Atenção Primária. Objetivo: Conhecer as representações sociais de usuários, da Estratégia de Saúde da Família, acometidos pela HAS sobre as dificuldades apresentadas no processo de tratamento da doença hipertensiva. Casuística e Métodos: Trata-se de um estudo analítico, transversal, com associação das abordagens quantitativa e qualitativa. A amostra quantitativa incluiu 472 usuários, em tratamento alopático, distribuídos em 08 Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), selecionadas, aleatoriamente, dentre as 43 UBS’s que integram as 08 regiões de saúde do município de Aracaju/SE. A coleta de dados foi realizada entre agosto de 2017 e março de 2018, por meio da aferição de medidas antropométricas e de pressão arterial; aplicação de formulário estruturado com questões socioeconômicas; Escala de Adesão Terapêutica de Morisky de oito itens (MMAS-8) e Questionário de Frequência Alimentar de Alimentos com Alto Teor de Sódio (QFA-ATS). A amostra qualitativa foi constituída por 32 atrizes e atores sociais. As entrevistas foram realizadas por meio de um roteiro semiestruturado e analisadas pelo método de “análise de conteúdo”, através de categorias semânticas, tendo como referenciais Bardin e Minayo. Elegeu-se a Teoria das Representações Sociais de Moscovici como suporte teórico. Resultados: Nas análises quantitativas foram observadas algumas associações estatisticamente significativas em relação tanto à adesão terapêutica quanto ao controle dos níveis pressóricos, dentre elas: a faixa etária - adultos (p=0,001), o excesso de peso (p=0,001), a circunferência da cintura elevada (p=0,017), não seguir a prescrição como recomendado pelo médico (p<0,001), não comparecer às consultas de retorno (p=0,005) e a utilização de remédios caseiros (p=0,013) estavam associados à não aderência à terapêutica alopática. Enquanto que, a baixa escolaridade (p=0,020), o peso elevado (p=0,002) e a circunferência da cintura elevada (p=0,007) estavam associadas ao não controle da pressão arterial. Os achados qualitativos revelaram atrativos semânticos sobre os cuidados orientados no Sistema Único de Saúde (SUS), além da medicação para o tratamento da HAS. Emergiram, nos discursos, determinantes de saúde, especialmente, relacionados à alimentação e à prática de exercícios físicos. As unidades de registro (UR’s) de maior destaque foram sal e caminhada. As principais barreiras apresentadas nas falas estavam relacionadas a comorbidades, “resistência pessoal” e família. Considerações finais: As intersecções entre as crenças de saúde/doença, perfil psicossocial e determinantes de saúde parecem interferir diretamente nas práticas de adesão e controle da doença hipertensiva.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2020866 - ANA MARA DE OLIVEIRA E SILVA
Externo ao Programa - 1636296 - ANALICIA ROCHA SANTOS FREIRE
Externo ao Programa - 2502508 - DEBORAH MÔNICA MACHADO PIMENTEL

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77