UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: NAYARA GOMES LIMA SANTOS
26/06/2018 10:50


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: NAYARA GOMES LIMA SANTOS
DATA: 17/07/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Mini Auditório do CCBS/UFS
TÍTULO: Avaliação do efeito da membrana de gelatina contendo ácido úsnico no processo de cicatrização de queimadura de córnea.
PALAVRAS-CHAVES: Membrana de gelatina. Ácido Úsnico. Cicatrização. Queimadura de córnea.
PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

As queimaduras oculares químicas estão entre as causas mais frequentemente relatadasde lesões oculares. Essas lesões podem variar desde dano epitelial unilateral leve,conjuntival ou corneano, até danos à conjuntiva e córnea com risco de perda da visão.Sabendo da importância de novas propostas de tratamento para tal afecção, objetivamosinvestigar o potencial de membranas à base de gelatina contendo ácidoúsnico/lipossomas em promover cicatrização de queimaduras da córnea utilizandomodelo animal. A análise da atividade biológica das membranas de gelatina contendoácido úsnico/lipossomas foi realizada por meio do ensaio da membrana corioalantóica(MCA). Para avaliação de tolerabilidade ocular da membrana de gelatina foi realizado oTeste de Ovos de Galinha - Teste de Membrana Corioalantóica (HET-CAM). Para arealização do estudo em animais, foram utilizados 6 coelhos fêmeas da espécie NewZealand, com idade de 3 meses e pesando 2 Kg. A lesão química na córnea dos animaisfoi realizada por exposição ao etanol absoluto durante 30 segundos. Os animais foramdivididos em dois grupos do estudo: grupo com lesão tratado com membrana de gelatinacontendo ácido úsnico/lipossomas (n=3) e grupo com lesão tratado com membrana degelatina sem ácido úsnico/lipossomas (n=3). Para avaliação da cicatrização a área lesadafoi demarcada com 1 (uma) gota de colírio fluoresceína e posteriormente os animaisforam expostos à luz de cobalto e após isso, realizado o registro. Afim de identificarcélulas mortas na córnea, 1 (uma) gota de colírio Rosa de Bengala (1,0%) foi instiladano olho a ser avaliado, após ser anestesiado topicamente, após 1 minuto os animaisforam expostos à luz branca e então realizados os registros. Observou-se que amembrana de gelatina contendo ácido úsnico/lipossomas promove neovascularizaçãosem promover toxicidade e são biocompatíveis com o sistema ocular pelos métodos daMCA e HET-CAM. Além de não promover irritabilidade ocular, as membranaspromoveram melhor cicatrização de queimadura química corneana, bem como umaredução do número de células mortas e irritabilidade conjuntival no grupo tratadoquando comparado ao grupo controle.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1698148 - ENILTON APARECIDO CAMARGO
Externo ao Programa - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR
Externo à Instituição - FLÁVIA RODRIGUES DA SILVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5