UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: TICIANE CLAIR REMACRE MUNARETO LIMA
26/06/2018 08:08


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TICIANE CLAIR REMACRE MUNARETO LIMA
DATA: 13/07/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de treinamento (anexo 1) do Hospital São Lucas
TÍTULO: Qualidade da orientação nutricional intra-hospitalar em pacientes com Infarto Agudo do Miocárdio da rede pública e privada de saúde em Sergipe: registro VICTIM
PALAVRAS-CHAVES: Infarto do Miocárdio. Educação em Saúde. Hábitos alimentares. Disparidades em Assistência à Saúde.
PÁGINAS: 101
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Nutrição
RESUMO:

FUNDAMENTO: As mudanças no hábito alimentar fazem parte do conjunto de recomendações pós IAMcSST (Infarto Agudo do Miocárdio com Supradesnivelamento do Segmento ST). Estudos demonstraram disparidades na qualidade assistencial entre serviços de saúde, entretanto a qualidade da orientação nutricional é pouco explorada.

OBJETIVO: Avaliar a qualidade da orientação nutricional intra-hospitalar entre pacientes com IAMcSST nas redes de saúde pública e privada em Sergipe.

MÉTODOS: Estudo transversal, que utilizou dados do Registro VICTIM (Via Crucis para o Tratamento do Infarto do Miocárdio), com indivíduos ≥ 18 anos, admitidos com IAMcSST, de abril-novembro de 2017, em 1 hospital público e 3 privados. Analisou-se ocorrência de orientação nutricional e a qualidade da mesma.

RESULTADOS: Foram avaliados 188 voluntários, sendo 80,3% do serviço público. Dentre os entrevistados 57,6% da rede pública e 70,3% da privada (p=0,191) receberam orientação nutricional intra-hospitalar. O registro, em prontuário, dessa prática foi menor no serviço público (2,6% vs. 37,8%, p<0,001). Ambos os serviços tiveram prevalência inferior a 50% de orientação na maioria dos itens avaliados. Verificou-se predomínio das orientações restritivas, sobretudo de sal e de gorduras, respectivamente de 50,3% e 70,3% (p=0,064), no público e privado. Quanto à inserção de alimentos cardioprotetores, pacientes da rede privada foram mais beneficiados, principalmente quanto ao consumo de frutas, verduras e legumes (48,6% vs. 13,2%, p<0,001). Entre aqueles que receberam orientação, o conhecimento nutricional foi maior no privado (68,2% vs. 26,3%, p<0,001).

CONCLUSÃO: A orientação nutricional intra-hospitalar concedida aos portadores de IAMcSST em Sergipe ainda possui baixa qualidade em ambos os serviços, sobretudo no público de saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426692 - ANTONIO CARLOS SOBRAL SOUSA
Presidente - 1243900 - JOSE AUGUSTO SOARES BARRETO FILHO
Externo ao Programa - 2097654 - VIVIANNE DE SOUSA ROCHA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69