UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: THALYTA PORTO FRAGA
25/06/2018 08:53


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THALYTA PORTO FRAGA
DATA: 20/07/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Análise citopatológica do líquor em pacientes com leucemia linfoblástica aguda.
PALAVRAS-CHAVES: Leucemia linfoblástica. Líquido Cefalorraquidiano. Citologia
PÁGINAS: 47
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Contexto: A infiltração neoplásica do Sistema Nervoso Central (SNC) em pacientes com Leucemia Linfoblástica Aguda (LLA) é importante causa de recaída da doença, apesar do aumento na taxa de cura dos últimos anos. Avaliação da neoplasia em Líquido Cefalorraquiano (LCR) apresenta implicância prognóstica e necessita de acurácia diagnóstica, pois implica em diferente terapêutica. Em meio a novas tecnologias (citometria de fluxo e métodos moleculares), a citologia convencional mantém-se como instrumento diagnóstico de significativo valor. Objetivos: Identificar a proporção de exames de LCR positivos para blastos em crianças e adolescentes com LLA, utilizando-se de técnica de citologia padronizada e com controle de variáveis relacionadas ao processo que pudessem interferir no resultado. Desenho: Estudo prospectivo, descritivo, não controlado, no qual foram examinadas amostras de LCR obtidas por punção lombar de pacientes com LLA. As amostras de LCR foram encaminhadas rapidamente ao laboratório, sendo processadas e citocentrifugadas em citofunil. Quatro lâminas foram preparadas, coradas pelas técnicas de Panótico® e Giemsa e analisadas por um patologista e um hematologista. Resultados: Foram avaliados 28 pacientes com LLA, havendo predomínio do sexo masculino (58,6%), imunofenótipo B (82,2%) e 89,6% foram estratificados como de alto risco para recaída. Dentre as 205 amostras de LCR avaliadas, 26 (12,6%) foram positivas para blastos e dentre os 28 pacientes, 11 (39,2%) obtiveram algum exame de LCR com infiltração neoplásica, proporção superior à encontrada na literatura. Comparando-se os grupos com e sem infiltração de SNC, não se observou diferença estatisticamente significante para as variáveis idade, sexo, leucometria, proporção de óbitos, imunofenótipo e quantidade de LCR. Conclusão: Citologia convencional apresenta valor na avaliação de neoplasia em LCR, desde que sejam controlados fatores relacionados à coleta, processamento e análise do LCR que possam interferir na fidedignidade do resultado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2085327 - EDUARDO LUIS DE AQUINO NEVES
Externo à Instituição - IVISON XAVIER DUARTE
Presidente - 577945 - ROSANA CIPOLOTTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5