UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 27 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIO CESAR SANTANA ALVES
21/06/2018 15:07


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIO CESAR SANTANA ALVES
DATA: 09/07/2018
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27 PPGCS
TÍTULO: REPERCUSSÕES DO HIPOTIREOIDISMO GESTACIONAL EXPERIMENTAL NO EQUILÍBRIO HIDROSSALINO DA PROLE DE RATAS.
PALAVRAS-CHAVES: hipotireoidismo gestacional; equilíbrio hidromineral; MTZ; prole; programação fetal; pressão arterial.
PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

As alterações das concentrações de hormônios tireoideanos maternos durante a gestação podem afetar o adequado desenvolvimento dos filhotes. No entanto, a compreensão de certos mecanismos que expliquem as repercussões das condições da gestação na ocorrência de certas patologias, pouco tem sido elucidado acerca do papel dos hormônios tireoidianos maternos para o adequado desenvolvimento de órgãos e estruturas do SNC, importantes na regulação central e periférica do balanço hidromineral. Neste sentido, no presente estudo, procurou-se investigar as repercussões do hipotireoidismo gestacional experimental (HGE) materno nos sistemas biológicos responsáveis pela homeostase dos fluidos corporais. O HGE foi induzido pela adição do Metimazol (MTZ) a 0,02% na água de beber a partir do nono dia de gestação (9ºDG) até o parto. Os machos da prole foram subdivididos em: prole de ratas eutireoideas (PRE), hipotireoideas (PRH) e eutireoideanas por adição de tiroxina (T4) (PRT4); estes foram submetidos à avaliação basal e após a sobrecarga salina (NaCl 2%), do equilíbrio hidromineral e da pressão arterial com idades a partir de 60 e 90 dias pós-natal (DPN) por meio de gaiola metabólica e pletismografia de cauda respectivamente. Ademais, foi realizada a dosagem dos eletrólitos (Na+ e K+) séricos e urinário, mensuração do percentual de hematócrito, avaliação morfológica do coração e dos rins, além da avaliação de parâmetros hemodinâmicos. Os resultados obtidos foram expressos em valores de média ± erro padrão da média. Para comparação dos dados entre os grupos foi realizado ANOVA two-way de medidas repetidas, student t test e pós-teste de Bonferroni. O nível crítico fixado foi de 5% (p<0,05). Após análise dos dados foi possível observar que a PRH apresentou menor massa corporal nas duas idades (60 e 90 DPN) (p<0,01), maior ingestão de salina (NaCl 2%) comparada a ingestão de água, maior diurese e natriurese, hiper e hiponatremia em condições basal e com sobrecarga salina respectivamente e por fim alterações dos parâmetros pressóricos (PAS, PAD e PAM) em condições basais (Hipertensão) e após desafio hiperosmótico (hipotensão). Diante do exposto, concluímos que o HGE pode ter determinado uma re ou desprogramação das respostas fisiológicas ao desbalanço hidroeletrolítico provocado por sobrecarga de sódio nas idades estudadas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - BERNADETH MODA DE ALMEIDA
Externo à Instituição - Carla Maria Vela Ulian
Externo ao Programa - 2653958 - PRISCILA FELICIANO DE OLIVEIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5