UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GABRIELA BARBOSA OLIVEIRA
06/06/2018 15:46


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIELA BARBOSA OLIVEIRA
DATA: 12/06/2018
HORA: 09:00
LOCAL: no auditório do NUPEG
TÍTULO: Potencial Funcional de sementes de acerola (Malpighia emarginata DC.), goiaba (Psidium guajava), graviola (Annona muricata L.) e mangaba (Hancornia spenciosa Gomes) para a produção de farinha e óleo vegetal.
PALAVRAS-CHAVES: Sementes, farinhas, óleos, Soxhlet, fluído supercrítico.
PÁGINAS: 84
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
RESUMO:

Os processamentos de frutas, na indústria alimentícia, alguns resíduos são descartados, entre eles as sementes. Embora não sejam utilizadas, as mesmas são ricas em nutrientes, e podem ser aproveitadas como matéria-prima para outros produtos, como farinhas e óleos. O presente estudo visa avaliar o potencial nutricional das sementes de frutas como a acerola (Malpighia emarginata DC.), goiaba (Psidium guajava), graviola (Annona muricata L.) e mangaba (Hancornia spenciosa Gomes) para a produção de farinhas e óleos de sementes de frutas a fim de constatar seus benefícios funcionais para a saúde humana. Os resultados mostram que a farinha de semente de acerola apresentou valores favoráveis em relação ao teor de umidade (7,56%), cinzas (0,44%), proteínas (16,94%), fibras (26,54%), ABTS (1989,26 µM TE/g), compostos fenólicos totais (394,299 mg GAE / 100 g), flavonóides totais (165,636 mg / 100 g) e carotenóides totais (4157 μg/100g) em relação as outras farinhas. A farinha de semente de mangaba, se destacou devido ao alto teor lipídico (17,5%) e a maior atividade de DPPH (39,64 IC50). Para as análises de composição mineral a farinha de sementes de todas as frutas apresentaram uma boa qualidade, com destaque para a farinha de semente de goiaba que revelou ser uma boa fonte de ferro. As análises microbiológicas de todas as farinhas apresentaram valores dentro do permitido pela legislação, o que evidencia que estas farinhas podem ser utilizadas como um produto adequado para o consumo humano. Os óleos da sementes destas frutas foram extraídos por dois métodos: Soxhlet (etanol e hexano) e fluído supercrítico (SFE-CO2 ). Nesse estudo o rendimento o óleo de semente de graviola foi melhor na extração por Soxhlet e o óleo da semente de mangaba na extração por Soxhlet, mas não atingiu seu potencial máximo de extração, verificado pela curva cinética. Estes óleos foram caracterizados pelas análises de α-tocoferol e de β-caroteno com destaque para o óleo da semente de acerola, na SFE-CO2. Desta maneira, até o presente momento, foi possível observar que as farinhas feitas apartir das sementes de gioaba, graviola, mangaba e acerola mostraram-se promissoras para servirem como um alimento alternativo e de ótima funcionalidade para o ser humano. Assim como o óleo de sementes de acerola rico em compostos antioxidantes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1879181 - LISIANE DOS SANTOS FREITAS
Interno - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo ao Programa - 1708289 - LUANDA GIMENO MARQUES
Externo ao Programa - 2139471 - FLAVIANA CARDOSO DAMASCENO
Externo ao Programa - 2481282 - ALESSANDRA ALMEIDA CASTRO PAGANI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5