UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: ANDRÉ LUIS ANDRADE DOS SANTOS
23/05/2018 10:20


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRÉ LUIS ANDRADE DOS SANTOS
DATA: 29/05/2018
HORA: 09:30
LOCAL: Departamento de Engenharia Ambiental (DEAM)
TÍTULO: Caracterização e recuperação de óleo de borras oleosas da indústria de petróleo por extração e decantação
PALAVRAS-CHAVES: borras oleosas; condensado de gás natural; extração líquido-líquido
PÁGINAS: 99
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Operações Industriais e Equipamentos para Engenharia Química
ESPECIALIDADE: Operações de Separação e Mistura
RESUMO:

Atualmente, os resíduos oleosos gerados na indústria do petróleo, oriundo de diversas unidades, como separadores de produção, caixa API, flotadores de água produzida, tratadores de óleo, tanques de armazenamento ou derramamentos acidentais, são descartados em diques, valas ou armazenados para posterior aterro. As borras são materiais com aspecto pastoso, na forma de emulsões, constituídas por areia, óleo, água e produtos químicos diversos utilizados no processo de produção. Em geral, não há recuperação do óleo presente no resíduo, o que gera um grande passivo ambiental e prejuízo financeiro. A literatura mostra diversas técnicas para tratamento/disposição final desta borra oleosa, são elas: centrifugação, extração por solvente, incineração ou combustão controlada, co-processamento em fábricas de cimento, incorporação em materiais cerâmicos, encapsulamento para inertização dos resíduos, degradação biológica em landfarming, biorremediação, entre outros. O presente trabalho aborda a caracterização da borra oleosa e desenvolvimento de uma técnica para recuperar o óleo, baseado em uma etapa de extração (com condensado de gás natural – C5+), seguido de uma separação por força de campo, capaz de agregar valor ao resíduo. As amostras de borras oleosas foram previamente caracterizadas: teor de água livre e sedimentos - BSW, sólidos totais, salinidade, distribuição tamanho de gotas, teor de asfaltenos e resinas e teor de óleo e graxas. Em seguida, tratadas com um agente surfactante (Dissolvan) e misturadas com C5+. Após a mistura dos constituintes, fez-se a separação por duas rotas: centrífuga ou gravitacional. Foram encontrados BSW médio da borra de 60%, salinidade de 31734 mg/L, densidade de 0,9794 g/cm³ e °API de 7,23. As eficiências de separação foram mensuradas em termos da recuperação de óleo, tendo sido alcançados valores médios de 86,4 e 52,5% para os processos centrífugos e gravitacionais, respectivamente.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1688806 - ANDRE LUIS DANTAS RAMOS
Interno - 1542165 - JOSE JAILTON MARQUES
Interno - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo à Instituição - CLAUDIO DARIVA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18154-6e174eae4e