UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: DAMON FERREIRA FARIAS
03/05/2018 16:56


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAMON FERREIRA FARIAS
DATA: 21/05/2018
HORA: 14:00
LOCAL: sala de videoconferência do PROEE
TÍTULO: CARACTERIZAÇÃO DOS DEFEITOS PONTUAIS E DAS PROPRIEDADES FOSFORESCENTES DO SILICATO DE CÁDMIO.
PALAVRAS-CHAVES: silicato de cádmio, propriedades ópticas, fotoluminescência, termoluminescência, decaimento luminescente, éxciton
PÁGINAS: 108
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

O silicato de cádmio na composição CdSiO3 é um material fosforescente com potencial de aplicação em áreas como sinalização de emergência, armazenamento óptico de dados e revestimentos cerâmicos para uso em salas de radiodiagnósticos. Neste trabalho, o principal objetivo foi investigar o mecanismo de luminescência intrínseca de longa duração do material cristalino CdSiO3 avaliando a influência dos parâmetros de síntese na estrutura do material e em suas propriedades ópticas. Os efeitos dos parâmetros de síntese (pH, tempo e temperatura de calcinação) foram investigados para a obtenção da melhor condição de preparo das amostras de CdSiO3. As amostras com uma única fase cristalina foram obtidas com sucesso utilizando soluções de pH de partida de 1,0, 3,0 e 7,0, com temperatura e tempo de calcinação mínimos iguais a 1000 ºC/3h ou a 700 ºC/3h para amostras produzidas com pH 1 ou 7, respectivamente. As propriedades ópticas dos pós sintetizados foram estudadas via absorção óptica (AO), fotoluminescência (PL), termoluminescência (TL) e decaimento luminescente. Os espectros de absorção revelaram a presença de éxciton autoarmadilhado no CdSiO3 a cerca de 4,70 eV e uma dependência da energia de bandgap ao ajustar o pH de partida utilizado, sendo 5,37 eV ou 5,62 eV para pH 7,0 ou 1,0, respectivamente. Os espectros de emissão de luminescência foram compostos por duas bandas principais a 590 nm e 460 nm, com intensidades relativas variadas com os parâmetros de síntese. Uma cor índigo foi observada a partir da amostra produzida a partir de solução com pH = 1,0, enquanto uma emissão vermelha corresponde à produzida com pH 7,0. Em ambos os casos, a intensidade de luminescência foi reduzida quando a amostra foi tratada numa atmosfera saturada de Cd. A banda vermelha (590 nm) da amostra produzida a partir de solução com pH = 7,0 apresentou maior persistência de luz, que estava relacionada com os defeitos na rede de Si, além dos efeitos

vacâncias Cd e O. Neste trabalho, verificamos que a emissão de luz pode ser melhorada através do ajuste do pH durante a síntese sol-gel e possibilitou o entendimento da influência do pH na formação da fase cristalina e o seu efeito nos defeitos produzidos e nas propriedades ópticas do material.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1694103 - EULER ARAUJO DOS SANTOS
Interno - 1495228 - IARA DE FATIMA GIMENEZ
Externo ao Programa - 1347298 - MARCIO ANDRE RODRIGUES CAVALCANTI DE ALENCAR
Externo à Instituição - VERÔNICA DE CARVALHO TEIXEIRA
Presidente - 2243395 - ZELIA SOARES MACEDO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69