UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: ROGÉRIO ALMEIDA MENEGHIN
04/04/2018 16:39


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROGÉRIO ALMEIDA MENEGHIN
DATA: 10/04/2018
HORA: 14:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO: MODELO INOVADOR DE INDICADORES PARA CONSTRUÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE PATENTES DEDICADAS A DOENÇAS NEGLIGENCIADAS APLICADO À TUBERCULOSE.
PALAVRAS-CHAVES: Patente; Doença Negligenciada; Tuberculose; Medicamento; Estratégia do Oceano Azul; Método Banerjee; Pobreza.
PÁGINAS: 299
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A tuberculose ainda persiste como problema de saúde pública mundial, atingindo principalmente populações negligenciadas nos países em desenvolvimento e menos desenvolvidos. O arsenal terapêutico antituberculose passa por um processo de estagnação e boa parte dele é obsoleto e tem propiciado, inclusive, o aparecimento de variedades resistentes da tuberculose. A pesquisa foi realizada por meio de levantamento bibliográfico nas bases de dados Science Direct, Scopus, PubMed, Scielo, SECS e Lilacs; prospecção de ensaios clínicos na plataforma ICTRP; prospecção de patentes no sistema ORBIT; prospecção nacional de inteligência de mercado da tuberculose pela REVIE; e prospecção internacional de mercado da tuberculose pela COHERENT. O panorama geral de combate à tuberculose, em duas décadas, conta com 1005 ensaios clínicos distribuídos em 96 países, 5563 patentes depositadas em 96 países, 20 tipos de medicamentos, 17 novas tecnologias (10 medicamentos e 7 não-medicamentos) que estão em fase avançada de desenvolvimento, e 21 projetos de pesquisa em andamento cadastrados na biblioteca virtual da FAPESP. No Brasil, existem 8 empresas produtoras e 2 empresas fornecedoras de medicamentos antituberculose, que somam 82 registros ativos na ANVISA. Foi aplicado um questionário on line, com 92 perguntas, ao público alvo composto principalmente por pesquisadores que atuam nos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) relacionados à tuberculose, com a chancela do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP) da Plataforma Brasil do Ministério da Saúde. O pedido de participação no questionário foi enviado por meio de e-mail a 250 destinatários, dos quais 127 participaram da pesquisa, dentre os quais foram considerados neste estudo as 54 participações que reponderam completamente ao questionário. O tratamento estatístico dos dados se pautou pela análise multivariada fatorial. Foram utilizados os métodos KMO (Kaiser-Meyer-Olkin) e o Teste de Bartlett, pelos quais se confirmou a existência de correlação entre os dados. As simulações computacionais foram conduzidas por meio do software chamado Statistical Package for the Social Sciences, o SPSS. Utilizou-se ainda, o método de rotação ortogonal Varimax com normalização Kaiser, com os eigenvalues (autovalores) maiores que 1,0. Também foi aplicado o método de Componentes Principais, pelo qual se calculou os fatores com eigenvalues maiores do que 1, a variabilidade e a variabilidade acumulada. Os resultados sobre as ações estratégicas mapeou cinco vertentes de atuação para a induzir e institucionalizar políticas públicas inovadoras pautadas pelo benchmarking em área de grande similaridade com os desafios encontrados no combate à tuberculose, quais sejam: “Os incentivos ao tratamento da tuberculose”; “Os novos produtos anti TB”; “A inovação nas parcerias público-privadas”; “A inovação nas parcerias público-privadas transfronteiras” e “As patentes anti TB”, esta última com 13 sub-ações específicas. Diante do exposto, a tese apresentou um modelo inovador para construção de políticas públicas voltadas para a questão da tuberculose, denominado de Modelo Cognitivo Banerjee Azul (MCBA), ou em língua inglesa, Blue Banerjee Cognitive Model (BBCM). Em síntese, o BBCM é estruturado pelo Estado empreendedor que se compõe por onze eixos estruturais, dos quais, dois deles são de natureza internacional, e os outros nove eixos estruturais são de natureza nacional, intrinsecamente relacionado com aspectos necessários para a construção de novas políticas públicas de saúde e de patentes. Conclui-se que as 16 dimensões do BBCM devem se retroalimentar, de tal maneira que todos os procedimentos sejam aperfeiçoados em tempo real e em fluxo contínuo, de modo a erradicar ou manter em níveis mínimos de incidência da tuberculose no Brasil.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2869627 - ADRIANA GIBARA GUIMARÃES
Presidente - 116.375.605-91 - ANA ELEONORA ALMEIDA PAIXAO
Interno - 2483844 - RENATA SILVA MANN
Externo à Instituição - RITA DE CÁSSIA PINHEIRO MACHADO
Interno - 380.837.950-20 - SUZANA LEITAO RUSSO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16104-201f40f5e2