UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: GENISSON BARBOSA TEIXEIRA
14/03/2018 10:52


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GENISSON BARBOSA TEIXEIRA
DATA: 23/03/2018
HORA: 14:00
LOCAL: miniauditório do P²CEM
TÍTULO: NANOCARREADOR BASEADO EM QUITOSANA TIOLADA E NANOPARTÍCULA DE OURO COM SISTEMA DE LIBERAÇÃO CONTROLADA PARA O FÁRMACO ANTINEOPLÁSICO DOCETAXEL .
PALAVRAS-CHAVES: Quitosana; Nanopartículas de Ouro; Carreador de Fármaco; Docetaxel.
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Com o advento da nanotecnologia, sistemas avançados de entrega de fármacos, são tidos como um dos métodos mais eficazes no tratamento do câncer. Nesse trabalho, desenvolvemos um carreador para o fármaco antineoplásico docetaxel (DTX), a partir do sistema de liberação controlada formado por quitosana organofuncionalizada com grupos tióis e nanopartículas de ouro (AuNPs). Para a produção do carreador, a quitosana (CS) foi modificada com cisteína e acoplada por DCC. A presença dos grupos tióis na CS foi confirmada pelos espectros obtidos em FTIR. Posteriormente, as AuNPs foram sintetizadas e passivadas por meio do citrato de sódio e a partir da espectroscopia de UV-vis, foi possível obter uma banda de absorbância forte na região de 520nm. O diâmetro das nanopartículas foram observados por TEM, obtendo um tamanho médio de ~18nm. Na sequência, realizamos um estudo cinético para entendermos melhor o comportamento entre o material produzido e as AuNPs, comprovando a interação dos mesmos a partir dos medidas de FTIR, essa técnica também foi importante para comprovação da interação entre o fármaco e o material produzido. Complementar a este estudo, as técnicas de DLS, potencial Zeta e MEV foram utilizadas, sendo fundamentais para definirmos a massa ideal de CS-SH nos testes de liberação. O perfil de liberação do DTX com o material foi o dobro em relação ao fármaco livre, bem como, o material proporcionou uma liberação controlada até as 48 horas e constante até as 120 horas, diferentemente do fármaco livre. A utilização de modelos cinéticos possibilitou um melhor entendimento do perfil de liberação do fármaco com o material.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1495228 - IARA DE FATIMA GIMENEZ
Presidente - 2326669 - LUIS EDUARDO ALMEIDA
Externo ao Programa - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69