UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: ROBERTA CAROZO TORRES
16/02/2018 21:35


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROBERTA CAROZO TORRES
DATA: 09/03/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Miniauditório do CCBS
TÍTULO: PRODUÇÃO DO CUIDADO DO ENFERMEIRO EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA HOSPITALAR
PALAVRAS-CHAVES: Cuidados de enfermagem; Emergência; Assistência hospitalar; Pesquisa qualitativa; Cartografia.
PÁGINAS: 78
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
SUBÁREA: Enfermagem Médico-Cirúrgica
RESUMO:

A área de urgência e emergência é um campo complexo de atuação, onde o trabalho dos enfermeiros exige o conhecimento amplo das necessidades de saúde dos usuários a fim de se obter uma intervenção rápida, efetiva e humanizada. A reorganização dos serviços de saúde tem a integralidade como pressuposto para a produção do cuidado, a partir de um processo de trabalho que é centrado no usuário e em relações acolhedoras dos profissionais. Trata-se de um estudo descritivo-exploratório, com abordagem qualitativa, que tem como objetivo compreender a produção do cuidado do enfermeiro em uma unidade hospitalar de urgência e emergência. Para isso foram utilizados os referenciais teóricos do processo de trabalho em saúde, produção da subjetividade e da micropolítica do processo de trabalho, a fim de embasar a discussão sobre as tecnologias utilizadas e os modos de produzir o cuidado pelos enfermeiros nesse contexto. O método utilizado foi a cartografia, formulado por Deleuze e Guattari, que é um caminho dos estudos qualitativos que considera toda pesquisa como intervenção, e visa acompanhar um processo e não representar um objeto; em linhas gerais, trata-se de investigar um processo de produção. Os participantes do estudo foram os enfermeiros do pronto socorro de um hospital público de Aracaju-SE. A coleta de dados foi feita por meio de entrevistas individuais e observação direta, guiadas por um roteiro semiestruturado, além do uso do diário de campo. O estudo atendeu à Resolução 466/2012, e foi aprovada pelo Comitê de Ética em pesquisa (CEP) da Universidade Federal de Sergipe. O pronto socorro é dividido em quatro áreas de acordo com as cores do sistema de Classificação de Risco. Os enfermeiros justificam o predomínio do uso das tecnologias duras e leve-duras ao perfil de paciente atendido na unidade, porém reconhecem a importância e necessidade do uso das tecnologias leves para a produção subjetiva do cuidado. Houve destaque para o trabalho interdisciplinar. Evidenciou-se a necessidade de utilização efetiva do processo de enfermagem como instrumento para organização da produção do cuidado, pois apesar de ter a Sistematização da Assistência de Enfermagem implantada na unidade ela não é feita pelos profissionais. Assim, há a necessidade de instrumentalizar os profissionais da área de urgência e emergência hospitalar para o uso das tecnologias leves e da SAE de modo mais efetivo, a fim de produzir um cuidado humanizado e integral.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALBA BENEMERITA ALVES VILELA
Interno - 6426549 - ANA CRISTINA FREIRE ABUD
Externo ao Programa - 1738313 - CARLA KALLINE ALVES CARTAXO FREITAS
Interno - 2178493 - MARIA CLAUDIA TAVARES DE MATTOS
Presidente - 426451 - RITA MARIA VIANA REGO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5