UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: LAURA BARRETO DE PAULA SOUZA
09/02/2018 11:42


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAURA BARRETO DE PAULA SOUZA
DATA: 22/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório da Didática II
TÍTULO: Diversificação e evolução fenotípica em peixes Cascudos (Siluriformes: Loricariidae: Loricariinae)
PALAVRAS-CHAVES: Macroevolução, peixes dulcícolas neotropicais, Loricaríneos, radiação não adaptativa.
PÁGINAS: 39
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Uma das causas da variação filogenética, temporal e espacial da riqueza das espécies são atribuídas aos processos de especiação e extinção diferencial das linhagens, chamado de diversificação. Existe também uma grande diversidade fenotípica entre as espécies que pode estar relacionada à diversificação. O desenvolvimento de métodos filogenéticos comparativos permitiu o estudo da diversificação e evolução de atributos das espécies. O objetivo do presente estudo é investigar os padrões de diversificação e evolução de atributos de peixes Cascudos da subfamília Loricariinae, e investigar se esses atributos estão correlacionados com as taxas de diversificação. Foi utilizada uma filogenia contendo 114 representantes de espécies da subfamília e os atributos tamanho corporal, posição e largura de nicho climático de micro-hábitat (substrato), para avaliar as taxas evolutivas e relação entre esses diferentes eixos do nicho das espécies e as taxas evolutivas da subfamília. As taxas de diversificação da subfamília e dos atributos foram estimadas através do BAMM e foram realizadas análises de correlação filogenética (STRAPP) a fim de detectar se os atributos estão moldando o processo de diversificação na subfamília. Foram realizadas também análises de disparidade ao longo do tempo (DTT) para explorar o padrão temporal de evolução fenotípica. A análise de diversificação mostrou que a subfamília possui altas taxas de diversificação. O tamanho corporal apresentou taxas heterogêneas entre os subclados, apresentando um shift de diversificação no clado em que a espécie Paraloricaria agastor apresentou o menor tamanho do clado. A posição de nicho climático apresentou um padrão heterogêneo de taxas de diversificação, apresentando um shift envolvendo seis espécies de Rineloricaria que conservaram sua posição de nicho. A diversificação da largura de nicho climático revelou o padrão mais heterogêneo, apresentando quatro shifts que ocorreram em clados que contém espécies com maiores larguras de nicho climático. Já as taxas de diversificação da posição e largura de micro-hábitat não apresentaram shifts. Os testes STRAPP revelaram não haver correlação entre nenhum dos atributos considerados no presente estudo e a diversificação, mostrando que o processo evolutivo de Loricariinae parece ser independente dos atributos fenotípicos investigados. O DTT revelou que na maior parte da história evolutiva da subfamília as médias de disparidade dos atributos estudados evoluíram de forma neutra, porém apresentaram picos de disparidade fenotípica dentro dos clados no tempo mais recente. Os resultados mostram que provavelmente os Loricaríneos evoluíram através de uma radiação não adaptativa onde eventos vicariantes teriam promovido especiação alopátrica e as altas taxas de diversificação. De fato, acredita-se que a radiação dos peixes Neotropicais esteve intimamente relacionada aos processos geológicos de formação de bacias (hipótese hidrogeológica). O DTT reforça essa conclusão, pois em boa parte da história evolutiva os atributos evoluíram neutramente, sem associação com a diversificação, como seria esperado em uma radiação não adaptativa. Entretanto, apesar de a subfamília ter evoluído sob radiação não adaptativa, processos de seleção divergente possivelmente ocorreram em espécies independentemente, promovendo disparidade significativa dos atributos dentro dos clados no tempo presente. Os resultados obtidos revelam uma história evolutiva peculiar para os Loricaríneos e um exemplo raro de radiação não adaptativa nos Neotrópicos, que pode elucidar o entendimento dos processos que levaram a extraordinária diversificação dos peixes Neotropicais, ainda pouco conhecidos.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1687626 - MARCELO FULGENCIO GUEDES DE BRITO
Externo à Instituição - MURILO SVERSUT DIAS
Interno - 2260274 - PABLO ARIEL MARTINEZ
Presidente - 2019114 - SIDNEY FEITOSA GOUVEIA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9