UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCOS LEANDRO DA CRUZ ROCHA
09/02/2018 11:36


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCOS LEANDRO DA CRUZ ROCHA
DATA: 23/02/2018
HORA: 08:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: A produção de néctar extrafloral em Turnera subulata (Passifloraceae) é dependente do contexto ecológico?
PALAVRAS-CHAVES: defesa indireta, herbivoria, interação planta-formiga, Teoria da Otimização Defensiva
PÁGINAS: 24
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

As plantas podem apresentar defesas direta (ex. estruturas morfológicas ou compostos secundários) e indireta (ex. atração de inimigos naturais por meio de voláteis ou recompensas) capazes de minimizar os danos causados por herbívoros. Uma vez que a defesa de plantas apresenta uma série de custos associados, espera-se que tal investimento seja modulado de acordo com o contexto ecológico no qual as interações ocorrem. A Teoria da Otimização Defensiva prevê que as defesas diretas da planta são destinadas principalmente para suas partes mais valiosas e com maior probabilidade de ataque (ex. estruturas reprodutivas). No entanto, existem poucos estudos mostrando que a defesa indireta também seja modulada pela planta hospedeira. Turnera subulata é uma planta arbustiva que produz néctar extrafloral, sendo por isso associada com várias espécies de formigas, algumas das quais podem defendê-la contra herbívoros. Nesse estudo, será analisado se plantas de T. subulata aumentam o investimento na produção de néctar extrafloral quando: i) sob ataque de herbívoros; ii) possui formigas associadas; e iii) nos estágios fenológicos da planta que apresentam maior custo fisiológico (ex. reprodução). Experimentos manipulativos serão feitos em casa de vegetação utilizando-se plântulas com 45 dias após a germinação. Para testar se há efeito da herbivoria sobre a produção de néctar extrafloral, as plantas serão submetidas aos tratamentos: com e sem a presença de herbívoro, e aos tratamentos com ácido jasmônico (simulação da herbivoria) e injúria mecânica. Para testar se a atividade de formigas modula a produção de néctar extrafloral, as plantas serão submetidas aos tratamentos com e sem a presença de formigas e com simulação da atividade das formigas (néctar removido manualmente). Para avaliar se há modulação ao longo dos estágios fenológicos, a produção de néctar extrafloral será mensurada nos estágios vegetativos, de floração e frutificação da planta. Em todos os casos serão utilizadas 15 plantas por tratamento, das quais serão mensurados o volume e a concentração de açúcar do néctar extrafloral. Os dados serão analisados através de modelos lineares generalizados. O desenvolvimento deste estudo poderá contribuir para o entendimento de parte dos mecanismos envolvidos nas interações entre plantas, herbívoros e formigas; assim como na otimização de defesa indireta por T. subulata.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1861452 - ANA PAULA ALBANO ARAUJO
Interno - 1881178 - MARCOS VINICIUS MEIADO
Externo à Instituição - PAULO FELLIPE CRISTALDO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9