UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MILENA GONÇALVES DA SILVA
25/01/2018 12:43


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MILENA GONÇALVES DA SILVA
DATA: 23/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 6A do Departamento de Biologia da UFS
TÍTULO: Conexões tróficas e avaliação da sazonalidade na dieta da ictiofauna associada a bancos de macrófitas no Baixo São Francisco
PALAVRAS-CHAVES: Teia trófica, itens alimentares, sobreposição de nicho, guildas tróficas.
PÁGINAS: 29
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

As macrófitas representam um importante habitat para a ictiofauna, pois são utilizados como sítios reprodutivos, zonas de forrageamento, refúgio contra predadores e berçário para os juvenis e espécies de pequeno porte. Além disso, fornecem maior superfície para os recursos alimentares devido à disponibilidade de substratos para presas para predação pelos peixes. Desta forma, representam um dos fatores bióticos mais importantes para estruturação das comunidades de peixes. Considerando que a alimentação é um aspecto essencial do ciclo de vida de um organismo, a identificação e quantificação da composição da dieta são etapas cruciais para entender o papel e as interações de cada espécie em ambientes compartilhados. Neste estudo, objetiva-se analisar espaço-temporalmente a estrutura trófica da comunidade de peixes associados a bancos de macrófitas em um trecho antropizado do Baixo São Francisco sob influência da Usina Hidrelétrica Xingó. Amostragens bimestrais (abril/2015 a março/2016) padronizadas foram realizadas em quatro localidades através de quatro lances de arrastos (10 m de comprimento, malha 5 mm) próximo às margens com macrófitas aquáticas (Eichornia crassipes e Elodea sp.) no período crepuscular para captura de peixes. Os espécimes coletados nos arrastos foram anestesiados com eugenol, fixados em formol a 10% e posteriormente transferidos para álcool 70%. Em laboratório cinco espécimes de cada espécie por ponto amostral serão selecionados aleatoriamente para biometria e análise do conteúdo estomacal. Os itens alimentares serão identificados e quantificados volumetricamente. Na análise de dados, será calculada a riqueza e diversidade de itens consumidos, a partir do índice de diversidade de Shannon (H’) no programa R através do pacote Vegan para caracterizar o espectro alimentar em cada ponto e período amostral. A proporção volumétrica de itens consumidos em cada uma das categorias taxonômicas de itens será obtida verificando se há diferença entre os pontos e períodos através da análise de similaridade ANOSIN (two-way), uma vez que as dissimilaridades serão visualizadas por NMDS e os itens responsáveis pela variação serão identificados no SIMPER utilizando o software PRIMER. Também será calculada a proporção de itens alóctones e autóctones, e o Índice Alimentar (IAi%) de cada espécie para avaliar a importância dos itens alimentares. As espécies serão agrupadas em guildas tróficas de acordo com a similaridade na dieta a partir de uma análise cluster utilizando a média não ponderada de uma matriz de Distância Euclidiana, com o software PRIMER. A análise de correspondência (CA) será utilizada para verificar o padrão de distribuição dos grupos tróficos entre os pontos nos diferentes períodos no programa R. A partilha de recursos alimentares será obtida de acordo com o cálculo das sobreposições alimentares pareadas com o auxílio do programa Ecosim 700, e as teias tróficas bipartidas construídas para dois limiares de ligação (LT=0,00 e 0,05) serão visualizadas no programa Pajek.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1687626 - MARCELO FULGENCIO GUEDES DE BRITO
Externo ao Programa - 2357723 - RENATA BARTOLETTE DE ARAUJO
Interno - 1543186 - RENATO GOMES FARIA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9