UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 02 de Fevereiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: CLAUDIA FERNANDA TEIXEIRA DE MELO
17/01/2018 11:10


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLAUDIA FERNANDA TEIXEIRA DE MELO
DATA: 19/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: MEMÓRIAS E SENTIDOS DE NATUREZA EM COMUNIDADES RURAIS
PALAVRAS-CHAVES: Comunidade Castainho. Processos Educativos. Conservação ambiental
PÁGINAS: 161
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Ao longo da história da humanidade algumas mudanças ocorreram em relação à ideia de natureza, que foram inseridos em debates filosóficos, sociológicos, educacionais e ambientais, os quais se evoluíram no modo de produção, nos traços culturais, na tecnologia, nos processos educativos e na construção do conhecimento. Assim, determinados processos educativos ocorridos nas instituições como: escola, igreja, associações, conselhos municipais, lideranças políticas e representações sociais que articulam, conectam internalizam saberes na construção social e na valoração cultural. Esses são herdados mediante o desenvolvimento cultural e do conhecimento sobre a natureza, uma vez que demonstram como esses processos educativos proporcionam aos seus sujeitos uma vivência, apropriação, pertencimento, autonomia na produção de saberes acerca de suas identidades e de seus territórios culturais. A presente tese objetivou analisar os sentidos de natureza atribuídos por sujeitos da comunidade rural Castainho por meio dos seus processos educativos. Como paradigma metodológico a descrição etnográfica numa abordagem qualitativa, com base na história oral in locus, com seus integrantes da comunidade Quilombola centenária do Agreste Meridional de Pernambuco. A história oral e a memória foram norteadoras do processo de organização dos dados sobre a experiência e a prática cotidiana (atividades plurais e rotineiras) dos sujeitos nessa comunidade rural, mesclando passado e presente, ancorada na oralidade para resgatar informações da própria localidade com base em narrativas sobre o seu lugar social e suas relações com a natureza para evidenciar os sentidos de natureza atribuídos pela comunidade dento de uma “etnografia memorialística”, que foram utilizadas com os participantes sobre a conservação do ambiente e os processos educativos. Neste sentido, a pesquisa contribuiu para a sistematização dos conhecimentos sobre as memórias e os sentidos de natureza ao ampliar estudos dos processos identitários e socioculturais enquanto ação de conservação do lugar, como também na reflexão do pertencimento do homem em relação à natureza mediante processos identitários sociocultural de um lugar, ao conservar o ambiente (natureza) por meio dos processos educativos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2222763 - MARIA JOSE NASCIMENTO SOARES
Interno - 1316620 - ALCEU PEDROTTI
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo ao Programa - 2177093 - MARIA NEIDE SOBRAL
Externo ao Programa - 1922531 - ROBERTO DOS SANTOS LACERDA
Externo à Instituição - EDIVANIO SANTOS ANDRADE
Externo à Instituição - RONISE NASCIMENTO DE ALMEIDA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a