UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 07 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: TAMIRES SILVA DE SANTANA
11/01/2018 15:02


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TAMIRES SILVA DE SANTANA
DATA: 26/01/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala F2 NUPEG
TÍTULO: Estudo de sabões de óleos vegetais como inibidor de corrosão em fluido salino
PALAVRAS-CHAVES: tensoativo; inibidor de corrosão; curvas de polarização.
PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
RESUMO:

A corrosão é um problema comum na indústria petrolífera, pois diversos equipamentos e oleodutos são compostos de aço carbono, material de baixa resistência à corrosão principalmente a eletroquímica, que ocorre na presença de eletrólito, à exemplo dos sais presentes na água produzida junto ao petróleo. No presente trabalho foi utilizado sabões de óleos vegetais por ser um produto baixo custo e ambientalmente amigável. Os 4 tipos de tensoativos obtidos através da saponificação de óleos vegetais de mamona (OMS), coco (OCS), soja (OSS) e girassol (OGS) foram avaliados como inibidores de corrosão para meio contendo NaCl 3,5%. Os tensoativos foram caracterizados por tamanho de partícula/gotícula, ângulo de contato e tensão superficial para análise da concentração micelar crítica. Parâmetros eletroquímicos foram calculados a partir das curvas de polarização que geram conhecimento da cinética das reações anódicas e catódicas. As eficiências de inibição a corrosão foram calculadas a partir dos valores de densidade de corrente de corrosão, obtidos através de metodologia de extrapolação das curvas de Tafel. O OMS apresentou melhor eficiência de inibição da corrosão, com valor máximo de 93% para a concentração de 10-1 mol/L. Os demais tensoativos estudados também apresentaram resultados de eficiência satisfatórios, porém com baixa solubilidade em NaCl.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Interno - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo ao Programa - 1658460 - VICTOR HUGO VITORINO SARMENTO
Externo à Instituição - ALCIDES DE OLIVEIRA WANDERLEY NETO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18160-36a7f68df5