UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 18 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: MARIA FERNANDA OLIVEIRA TORRES
12/01/2018 14:53


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA FERNANDA OLIVEIRA TORRES
DATA: 02/02/2018
HORA: 08:30
LOCAL: Sala 1 do PPGAGRI
TÍTULO: Qualidade física e fisiológica de sementes de Enterolobium contortisiliquum (VELL.) Morong., submetidas ao armazenamento
PALAVRAS-CHAVES: viabilidade, vigor, conservação da biodiversidade, tamboril.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Avaliar a qualidade fisiológica de sementes florestais consiste em um fator essencial para o sucesso das análises em Tecnologia de Sementes e para uso destas em reflorestamentos via semeadura direta. Neste sentido, o armazenamento de sementes consiste em uma ótima estratégia de conservação. O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar a qualidade física e fisiológica de sementes de diferentes lotes de Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong., submetidos ao armazenamento. As sementes utilizadas encontravam-se acondicionadas em sacos plásticos impermeáveis e armazenadas em câmara fria com temperatura e umidade controladas. Para análise da qualidade fisiológica, foram realizados testes de germinação em que se avaliou o percentual de deterioração, emissão de radícula, de plântulas normais e plântulas anormais. Foi utilizado gerbox, tendo como substrato areia lavada e esterilizada a 105°C. Após a instalação dos testes, a água foi reposta sempre que necessário. Os gerbox foram mantidos em câmara BOD, com fotoperíodo 12/12 durante trinta dias. Foram avaliados ainda o teor de água das sementes, o índice de velocidade de germinação (IVG) e a curva de embebição. Para avaliar a qualidade física destas, foi também realizado o teste de raios-x. Os experimentos foram conduzidos em delineamento inteiramente casualizado e as análises realizadas pelo teste de Tukey, ao nível de 5% de probabilidade no programa SISVAR. Observou-se que os lotes mantiveram-se viáveis mesmo após dez anos de armazenamento, pois o lote mais antigo apresentou emissão de radícula de 83%, não diferente estatisticamente dos lotes mais atuais (quatro e um ano). O teor de água nas sementes de tamboril foi inferior a 14% em todos os lotes. Os maiores IVG foram constatados nos lotes de um e quatro anos de armazenamento, sendo eles foram superiores estatisticamente aos demais. A curva de embebição indica que esta espécie não segue um padrão trifásico comum, no entanto, pode-se observar o mesmo comportamento do padrão da curva para os lotes, mostrando que as membranas mantiveram uma boa integridade mesmo após dez anos de armazenamento. Em relação ao teste de raios-x, ao se analisar imagens da morfologia interna das sementes, conseguiu-se identificar as sementes inviáveis. Deste, modo o teste pode ser recomendado como uma boa ferramenta de auxílio para determinação da qualidade fisiológica de sementes, como as de tamboril. As sementes de tamboril demonstraram um bom potencial fisiológico, mesmo armazenadas após 10 anos, o que nos indica uma alta longevidade das mesmas, evento este que pode ser de grande importância para a conservação "ex situ" da espécie, para o planejamento na produção de mudas ou uso da própria semente em ações de recuperação ou restauração ambiental.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2483844 - RENATA SILVA MANN
Externo à Instituição - RENATO DELMONDEZ DE CASTRO
Presidente - 2350431 - ROBERIO ANASTACIO FERREIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e