UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RAQUEL MOREIRA DE BRITTO
09/01/2018 13:56


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAQUEL MOREIRA DE BRITTO
DATA: 15/01/2018
HORA: 09:00
LOCAL: No Auditório da Farmácia/UFS
TÍTULO: Mirtenol protege contra a lesão de isquemia-reperfusão cardiaca através de mecanismos antioxidantes e anti-apoptóticos
PALAVRAS-CHAVES: Monoterpenos. Mirtenol. Isquemia Miocárdica . Estresse Oxidativo. Apoptose
PÁGINAS: 76
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em todo o mundo, sendo que o infarto do miocárdio (IM) é uma das mais devastadoras. A lesão de isquemia- reperfusão cardiaca representa uma grande ameaça à saúde humana, contribuindo para efeitos adversos cardiovasculares. No entanto, embora a reperfusão do coração isquêmico seja essencial para reduzir o dano miocárdico, a restauração do fluxo sanguíneo pode, paradoxalmente, amplificar o dano celular. O reconhecimento de que os eventos patológicos que ocorrem tanto na isquemia como na reperfusão contribuem para a lesão tecidual, leva a esforços acelerados para identificar os mecanismos de lesão de IR, com a esperança de identificar novos tratamentos que possam limitar lesões induzidas pela redução do sangue fluxo e / ou dano produzido iatrogenicamente pela reperfusão.O mirtenol é um monoterpeno com múltiplas atividades farmacológicas. No entanto, embora os monoterpenos tenham sido propostos para desempenhar papéis benéficos em uma variedade de distúrbios cardíacos, as ações farmacológicas do mirtenol no coração ainda não foram relatadas. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar se mirtenol promove a cardioproteção contra a lesão de isquemia-reperfusão cardiaca (IR) e os mecanismos envolvidos nesses efeitos. Os ratos Wistar machos foram pré-tratados por via oral durante sete dias consecutivos com solução salina (NaCl 0,9% 0,20 ml + DMSO 0,05 ml), mirtenol (50 mg / kg) ou N-acetil cisteína (NAC) (1.200 mg / kg,). Posteriormente, os corações foram submetidos a lesão de IR cardiaca. Aqui, mostramos que o comprometimento severo do desempenho contrátil induzido pela IR foi prevenido de forma significativa pelo mirtenol e NAC. Além disso, o Mirtenol aboliu a forma de onda eletrocardiográfica discrepante (elevação do segmento ST), bem como reduziu as arritmias fatais e o tamanho da área do infarto induzido por lesão de IR. Relevantemente, o mirtenol impediu totalmente o aumento maciço da geração de espécies reativas de oxigênio e danos cardíaco causados pelo estresse oxidativo. Consequentemente, o mirtenol restaurou a atividade das enzimas antioxidantes endógenas (superóxido dismutase, catalase, glutationa peroxidase e redutase) e o equilíbrio das vias pró e anti-apoptóticas (Bax e Blc-2), associado à diminuição das células apoptóticas TUNEL-positivas. Em conjunto, nossos dados mostram que o mirtenol promove a cardioproteção contra lesão de IR através da atenuação do estresse oxidativo e inibição da via pro-apoptótica.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2190308 - MARCIO ROBERTO VIANA DOS SANTOS
Externo à Instituição - VITOR ULISSES DE MELO
Externo à Instituição - RICARDO LUIZ CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307