UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 27 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ÉRIKA RAMOS SILVA
12/12/2017 13:03


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ÉRIKA RAMOS SILVA
DATA: 22/12/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27 PPGCS
TÍTULO: Efeitos do carvacrol complexado em betaciclodextrina sobre a reação inflamatória de ratas submetidas à lesão por inalação de fumaça.
PALAVRAS-CHAVES: Lesão inalatória, carvacrol, betaciclodextrina, estresse oxidativo, administração por inalação.
PÁGINAS: 112
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

A fisiopatologia das lesões inalatórias abrange múltiplos fatores e o sistema respiratório lesado pode apresentar deterioração em poucas horas, causando a produção de uma grande quantidade de radicais livres. Muitos produtos naturais possuem propriedades terapêuticas com significativa atividade oxiredutora. O carvacrol é produto natural, fenol monoterpênico, que possui propriedades biológicas que servem como barreira de processos mediados por radicais livres, tais como irritação e inflamação, devido a sua ação antioxidante. Este trabalho tem como objetivo avaliar o efeito do carvacrol complexado em betaciclodextrina (β-CD), administrado sob forma de aerossóis, sobre a reação inflamatória de ratas lesadas por inalação de fumaça, considerando as variáveis histomorfológicas dos tecidos traqueal, pulmonar e hepático, os principais parâmetros bioquímicos, hematológicos e marcadores de estresse oxidativo (TBARS, GSH, FRAP, MPO), comparando dois sistemas de administração do produto: a jato e ultrassônico. Trata-se de um estudo experimental longitudinal, randomizado com grupo controle, no qual foram utilizadas 24 ratas adultas, fêmeas, com cerca de 200-350 g e ciclo estral regular. As ratas foram distribuídas em 4 grupos denominados normal, controle negativo (Controle (-)), carvacrol a jato (CARV Jato) e carvacrol ultrassônico (CARV Ultra), sendo seis ratas por grupo. Após inalação de fumaça de algodão 30 g/Kg de peso corporal, durante 27 minutos, as ratas do grupo Controle (-), CARV Jato e CARV Ultra foram expostas à oxigenoterapia durante 30 minutos, seguidas da inalação da solução destinada a cada grupo. Estas soluções foram administradas novamente após 24h da lesão e a eutanásia após 48h da lesão. Para análise das variáveis do hemograma, bioquímica e estresse oxidativo (TBARS, GSH, FRAP e MPO) foram calculadas as médias e erro padrão das variáveis obtidas em cada grupo. O teste de Shapiro-Wilk foi aplicado e as distribuições normais analisadas com o Teste Anova One Way e as anormais (paramétricas) utilizando o Teste Kruskal-Wallis. O post test utilizado foi o de Dunnet, para pequenos grupos. Foi prefixado o nível de significância em 95% (p<0.05). A análise histomorfológica foi realizada por dois avaliadores independentes. Não houve diferença
significativa em nenhuma das variáveis hematológicas e bioquímicas, TBARS e MPO entre os grupos. O grupo Carv Ultra apresentou atenuação das alterações histomorfológicas em tecidos traqueal e pulmonar, bem como aumento significativo dos níveis de FRAP. Tanto o grupo Carv Jato quanto Carv Ultra apresentaram aumento significativo nos valores de GSH quando comparados ao grupo controle negativo. O carvacrol complexado em β-CD apresentou atividades antioxidantes quando administrado pela via inalatória de ratas submetidas à lesão por inalação de fumaça, amenizando a lesão pulmonar (enfisema) e protegendo a integridade do epitélio das vias aéreas. Não foi evidenciada hepatotoxidade deste produto na dose e concentração administradas.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2315744 - RENAN GUEDES DE BRITO
Presidente - 1511959 - TATIANA RODRIGUES DE MOURA
Interno - 2013648 - VITOR OLIVEIRA CARVALHO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5