UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROSEMAR BARBOSA MENDES
01/12/2017 09:41


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSEMAR BARBOSA MENDES
DATA: 20/12/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL E DOS FATORES ASSOCIADOS À PEREGRINAÇÃO NO ANTEPARTO EM SERGIPE, BRASIL.
PALAVRAS-CHAVES: Gestantes; Cuidado Pré-Natal; Acesso aos Serviços de Saúde; Humanização da Assistência
PÁGINAS: 167
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

O Ministério da Saúde por meio do Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento (PHPN) estabelece os procedimentos mínimos que devem ser oferecidos à todas as gestantes durante a assistência pré-natal, bem como assegura o direito destas mulheres à vinculação ao serviço de referência para o parto durante seu acompanhamento. Nesta perspectiva, objetivou-se analisar a qualidade da assistência pré-natal a partir das recomendações do PHPN e os seus efeitos e de outras características maternas na ocorrência da peregrinação no anteparto em Sergipe, Brasil. Trata-se de um estudo transversal e quantitativo, com abordagens descritiva e analítica, vinculado a pesquisa Nascer em Sergipe, realizada entre junho de 2015 e abril de 2016. Foram avaliadas 768 puérperas proporcionalmente distribuídas entre todas as maternidades do estado (n= 11). A coleta de dados ocorreu por meio de entrevista e visualização do cartão de pré-natal. Para análise estatística foram utilizados os testes Qui-quadrado, Exato de Fisher e a Razão de Chances com significância < 0,05. Os resultados mostraram uma cobertura elevada da assistência pré-natal em Sergipe (99,3%; n= 763), porém somente 57% (n= 435) destas mulheres iniciaram seu acompanhamento antes da 16ª semana gestacional e 74,7% (n= 570) compareceram a seis ou mais consultas. A orientação sobre a maternidade de referência para o parto foi referida por apenas 61,3% (n= 468) das entrevistadas e 29,4% (n= 226) do total da amostra peregrinaram no anteparto. As características maternas e da assistência pré-natal estatisticamente associadas à peregrinação no anteparto foram gestantes adolescentes (OR: 0,50; IC 95%: 0,34-0,71; p= < 0,001), com baixa escolaridade (OR: 0,42; IC 95%: 0,31-0,59; p= < 0,001), sem trabalho remunerado (OR: 0,61; IC 95%: 0,44-0,85; p= 0,003), com pré-natal realizado em serviço público (OR: 0,21; IC 95%: 0,12-0,36; p= < 0,001), com profissional enfermeiro na maioria das consultas (OR: 2,05; IC 95%: 1,49-2,83; p= < 0,001) e sem o recebimento de orientação sobre a maternidade de referência para o parto durante este processo (OR: 0,53; IC 95%: 0,39-0,73; p= < 0,001) (p < 0,05). Concluiu-se que a assistência pré-natal em Sergipe se encontra inadequada às recomendações do PHPN e que houve elevada peregrinação no anteparto, sendo esta última influenciada por fatores socioeconômicos maternos e pelas características do acompanhamento pré-natal.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2027262 - ANNY GISELLY MILHOME DA COSTA FARRE
Externo ao Programa - 1643234 - LIGIA MARA DOLCE DE LEMOS
Interno - 1496951 - SILVIA DE MAGALHAES SIMOES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5