UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: ALAN MALACARNE
09/10/2017 09:46


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALAN MALACARNE
DATA: 18/10/2017
HORA: 10:00
LOCAL: SALA MULTIUSO - PPGPI
TÍTULO: O POTENCIAL DO CAFÉ DO JACU COMO INDICAÇÃO GEOGRÁFICA
PALAVRAS-CHAVES: Indicação Geográfica, Café do Jacu, Café Exótico
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A Indicação Geográfica [IG] é um registro concedido a produtos e serviços que têm características singulares do seu local de origem, tornando famosa a reputação de tais produtos. A IG é caracterizada por duas espécies diferentes, a Indicação de Procedência e a Denominação de Origem. O Jacu Bird Coffe, mais conhecido como Café do Jacu, hoje é o café mais caro do Estado do Espírito Santo, e um dos mais caros do Brasil, chegando a custar de R$ 600,00 o quilo do grão, esse café possui características únicas, e é um produto com potencial para conseguir um registro de IG. Portanto, neste trabalho propõe se uma análise dos impactos de uma Indicação Geográfica do Café do Jacu. Pretende-se mostrar que a certificação do Café do Jacu, além de agregar muito valor à região de Domingos Martins e ao Estado do Espírito Santo, poderá trazer um impacto socioeconômico positivo à região. A análise do potencial para IG do Café Jacu foi feita através de uma pesquisa de caráter exploratório, pois permite maior familiaridade com o tema pesquisado, explorando e aprimorando as ideias e descobrindo intuições. Esse tipo de estudo é indicado para áreas pouco exploradas. Em relação à abordagem, do problema foi realizado um estudo de caso de natureza qualitativa. Este estudo consistiu em uma coleta de dados através de levantamento bibliográfico nas bases de domínio público, uma busca documental na base do INPI e entrevistas com os produtores do Café do Jacu. As informações obtidas revelam que a produtividade do café Arábica, que é o café que o Jacu come, está diminuindo, enquanto a produtividade do café Conilon cresce, o que pode pôr em risco o cultivo do café arábica. Com a certificação de IG do Café do Jacu, os produtores não precisarão mudar suas lavouras de Arábica para Conilon, pois a IG garantirá o valor agregado do Café, fazendo com que a produção do Arábica continue sendo viável e trazendo inúmeros benefícios aos produtores e moradores da região, mantendo os empregos de vários trabalhadores que dependem da produção desse café. Como os estudos em IG são recentes no Brasil e vêm aumentando o número de pesquisas sobre o assunto, este trabalho poderá contribuir para futuros estudos sobre outros produtos com potencial em IG, podendo tornar-se uma fonte de pesquisa bibliográfica para pesquisadores e qualquer pessoa interessada em adquirir mais conhecimento a cerca da indicação geográfica e tudo que envolve a mesma.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 116.375.605-91 - ANA ELEONORA ALMEIDA PAIXAO
Externo à Instituição - GERALDO CALIMAN
Presidente - 1637307 - ROBELIUS DE BORTOLI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16104-201f40f5e2