UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 29 de Novembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LAYANE FERNANDES DE SOUSA MOURA
01/09/2017 15:30


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LAYANE FERNANDES DE SOUSA MOURA
DATA: 28/09/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Miniauditório do CCET
TÍTULO: ESTUDO DA CAPACIDADE ADSORTIVA DE MATERIAIS EM LEITO FIXO VISANDO À CAPTURA DE DIÓXIDO DE CARBONO
PALAVRAS-CHAVES: Dióxido de carbono. Adsorção. Biochar
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia Química
SUBÁREA: Operações Industriais e Equipamentos para Engenharia Química
ESPECIALIDADE: Operações de Separação e Mistura
RESUMO:

A concentração dos gases de efeito estufa tem aumentado consideravelmente na atmosfera terrestre devido às ações antrópicas, intensificando o aquecimento global e desencadeando mudanças climáticas. Por conta desse cenário, ações estão sendo tomadas para reduzir as emissões desses poluentes, sobretudo o dióxido de carbono, CO2. O Protocolo de Kyoto (Kyoto, Japão, 1997) e a 21ª Conferência das Partes, COP21 (Paris, 2015), são exemplos de acordos globais para a redução das mudanças climáticas. Nesse contexto, tecnologias avançadas para o sequestro de dióxido de carbono estão em desenvolvimento, dentre as quais aquelas baseadas na adsorção física vêm se destacando. O presente estudo integra essa classe de processos e utilizou um biochar produzido através da pirólise das sementes da mangaba (Hancornia speciosa) como material adsorvente. O biochar foi caracterizado quanto à área superficial, diâmetro de poros, morfologia, grau de cristalinidade e determinação dos grupos funcionais. A adsorção de CO2 foi realizada utilizando-se a técnica volumétrica estática, variando-se a pressão inicial do sistema que consistiu numa coluna de leito fixo em escala semi-piloto. A forma da isoterma obtida classifica-se como tipo I, segundo a IUPAC, e os dados experimentais foram ajustados a modelos já conhecidos da literatura, sendo que o modelo de Langmuir foi o que melhor se ajustou. Foi realizado o estudo regenerativo do adsorvente até o terceiro ciclo de saturação/regeneração e verificou-se que sua capacidade adsortiva aumentou gradativamente até o segundo ciclo regenerativo, alcançando 10,32 mol CO2/kg de biochar, estabilizando-se no terceiro ciclo de regeneração em torno desse valor.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1542165 - JOSE JAILTON MARQUES
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Interno - 1515782 - MARCELO JOSE BARROS DE SOUZA
Externo ao Programa - 2698666 - INAURA CAROLINA CARNEIRO DA ROCHA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18154-6e174eae4e