UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: CLESIO ANDRADE LIMA
15/08/2017 15:50


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLESIO ANDRADE LIMA
DATA: 30/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: sala de video conferencia do Renorbio
TÍTULO: Propriedade química e atividade biológica de folhas de Passiflora cincinnata Mast sobre homeostase glicêmica e condição redox em ratos diabéticos tipo I
PALAVRAS-CHAVES: Passiflora cincinnata Mast, Estresse Oxidativo, Hipoglicemiante, Diabete tipo 1
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
SUBÁREA: Medicina Preventiva
RESUMO:

RESUMO:

A diabetes é uma patologia complexa e multifatorial de elevada morbidade e mortalidade e, por estes motivos, considerada atualmente uma epidemia, caracterizando-se como um problema de saúde pública mundial. É crescente o tratamento da diabetes e suas complicações, a partir de plantas medicinais em diferentes culturas por suas propriedades hipoglicemiantes. Neste sentido, estudos mostram a utilização de algumas espécies do gênero Passiflora no controle hiperglicêmico e estresse oxidativo associado. A Passiflora cincinnata Mast, nativa de regiões semiáridas, principalmente, nordeste brasileiro, onde são utilizadas popularmente para estes fins. Considerando o potencial farmacológico e medicinal do gênero e a inexistência de trabalhos científicos com a referida espécie, objetivamos investigar as propriedades químicas e atividades biológicas das folhas de Passiflora cincinnata Mast sobre a homeostase glicêmica e condição redox em ratos diabéticos tipo I. Em metodologia qualitativa colorimétrica, evidenciamos presença de diversos grupos de fitoconstituintes com propriedades medicinais. Ao quantificarmos espectofotometricamente, obtivemos maiores valores de fenóis, taninos, flavonoides e flavonóis totais no extrato etanólico (ExEt-PAS, 430.63 ± 46.71; 9,16 ± 0,11; 177,06 ± 2,09; 6,38 ± 0,28) e frações acetato de etila (F.ACT-PAS, 116.46 ± 14.62; 5,96 ± 0,25; 74,06 ± 9,53; 5,79 ± 0,27), metanólica (F.MET-PAS, 64,68 ± 6,61; 4,72 ± 0,22; 42,73 ± 4,23; 3,62 ± 0,10) e butanólica (F.BUT-PAS, 58,23 ± 12,56; 0,57 ± 0,11; 22,15 ± 2,56; 1,27 ± 0,15 µg.g-1), respectivamente. Paralelamente, a capacidade em reduzir o radical DPPH no teste de atividade antioxidante seguiu a mesma ordem, com índice de atividade antioxidante (IAA) de 4,13 ± 0,16 (ExEt-PAS), 2,43 ± 0,86 (F.ACT-PAS), 1,38 ± 0,41 (F.MET-PAS) e 1,19 ± 0,63 (F,BUT-PAS), tendo o ExEt-PAS e F.ACT-PAS resposta similar ao controle ácido gálico, IAA 3,21 ± 0,13. A F.ACT-PAS foi a que melhor apresentou propriedade anti-lipoperóxidativa com valores de TBARs 81,49%, 95,48% e 75,62% inferior aos controles indutor AAPH, FeSO4 e H2O2, respectivamente, na concentração de 200 µg.mL-1. Além disso, a F.ACT-PAS apresentou melhor potencial anti-α-amilase em inibir 50% da mesma comparado ao controle Acarbose (CE50: 6,49 ± 0,11 e 12,01 ± 0,4 µg.mL-1, respectivamente). A F.ACT-PAS apresentou atividade antihiperglicemiante pós-prandial em concentrações de 50 e 100 mg.kg-1 em teste de TOTG. Ao analisarmos a F.ACT-PAS em CLAE-UV-DAD constatamos a presença dos flavonoides isovitexina, orientina e isoorientina. E, utilizando-se do método de viabilidade celular por MTT, contatamos que a F.ACT-PAS não apresentou citotoxicidade em concentrações inferiores a 100 µg.mL-1, com viabilidade celular superior a 70%. Por fim, em teste subcrônico, ingestão por 15 dias de solução contendo 50 mg.kg-1 dos fitoconstituintes presentes na F.ACT-PAS, em ratos diabeticos tipo 1, induzidos por STZ, observamos melhora (redução) significativa p < 0,05 nos níveis de glicose plasmáticos de 49,80% em relação ao grupo controle diabético. Bem como, aumento significativo 11,37% (p<0,05) da massa corporal total dos mesmos, semelhante (p>0,05) ao grupo controle não diabético com 17,26%. O mesmo consumo da F.ACT-PAS também foi positivo na prevenção do estresse oxidativo tecidual, reduzindo p < 0,05 os níveis de TBARs plasmático (68,96%) e pancreático (24,00%), além da oxidação proteica pancreática (55,23%) e cardíaca (39,05) em relação ao grupo controle diabético. Paralelamente, observamos aumento p < 0,05 nos níveis de sulfidrilas totais plasmático (167%), pancreático (65,16%), hepático (825,27%) e cardíaco (434,57%) em relação ao controle diabético. Contudo, concluímos que as folhas de P. cincinnata Mast apresentam uma diversidade de fitoconstituintes com propriedades medicinais, principalmente compostos derivados fenólicos como os flavonoides isovitexina, orientina e isoorientina encontrados na fração acetato de etila. O que foi responsável, possivelmente, por esta fração apresentar excelente atividade antioxidante, antilipoperóxidativa e inibidora da enzima α-amilase, com resposta hipoglicemiante, antidiabética, redox protetora pancreática a animais diabético tipo 1, sem efeito citotóxico. No entanto, estudos serão realizados a fim de elucidar os mecanismos responsáveis pelos resultados observados.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3553547 - BRANCILENE SANTOS DE ARAUJO
Presidente - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo ao Programa - 2309018 - SAMUEL BRUNO DOS SANTOS
Externo à Instituição - SILVAN SILVA DE ARAUJO
Interno - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5