UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 17 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: RAINAN MATOS DÉDA
18/07/2017 14:02


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAINAN MATOS DÉDA
DATA: 31/07/2017
HORA: 15:00
LOCAL: SALA 2 - PPGAGRI
TÍTULO: INDICADORES BIOLÓGICOS PARA AVALIAÇÃO DO STATUS DE DESENVOLVIMENTO, EM ÁREA DE POVOAMENTO MISTO EM MATA ATLÂNTICA, APÓS 13 ANOS DE PLANTIO
PALAVRAS-CHAVES: Restauração florestal, Regeneração natural, Levantamento florístico.
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Avaliações periódicas por meio do uso de indicadores têm sido utilizadas para analisar o status de desenvolvimento de áreas em processo de restauração ecológica, verificando se os objetivos estabelecidos foram alcançados. A regeneração natural, um dos indicadores utilizados para essa avaliação, refere-se ao recrutamento de indivíduos por meio da chuva de sementes, banco de sementes do solo e banco de plântulas. Além disso, levantamentos florísticos nessas áreas permitem avaliar o sucesso no estabelecimento das espécies plantadas, assim como, analisar se houve incremento de espécies por meio dos mecanismos de dispersão. Dessa forma, o presente trabalho foi realizado com o objetivo de conhecer o processo de recomposição florestal promovido pela regeneração natural em uma área de povoamento misto em Mata Atlântica, no município de Laranjeiras, Sergipe, após 13 anos de plantio, bem como conhecer quais as espécies compõem a flora da área. Para estudos da regeneração natural foram utilizadas 30 parcelas fixas (20 m x 30 m). Em cada parcela foi coletada uma amostra de solo (0,25 m x 0,30 m x 0,05 m) para estimativa do banco de sementes. Para a avaliação da chuva de sementes foram utilizados coletores de madeira de 1 m² no centro de cada parcela. Por outro lado, para o banco de plântulas foi mensurado o diâmetro e altura dos indivíduos arbustivos-arbóreos com CAS ≤ 15 cm presentes em subparcelas de 1 m² em cada parcela. Para análise da composição florística foram realizadas expedições de coletas mensais em toda a área estudada. No banco de sementes constatou-se a presença de 12.322 sementes, pertencentes a 53 espécies, predominantemente formado por espécies herbáceas (30,19%), com destaque para a família Asteraceae. Na chuva de sementes foram coletadas 10.070 sementes, distribuídas em 37 espécies, com predominância de indivíduos arbustivo-arbóreos (50%) e da síndrome de dispersão zoocórica (46,67%). No banco de plântulas foram amostrados 169 indivíduos, distribuídos em 24 espécies, com predomínio de pioneiras e secundárias iniciais, o que pode-se inferir que a área encontra-se em estádio inicial de sucessão. No levantamento florístico observou-se a ocorrência de 147 espécies distribuídas em 49 famílias, com maior representatividade das famílias Fabaceae (26 spp.) e Asteraceae (16 spp.). Das 31 espécies nativas utilizadas no reflorestamento, 24 foram registradas nesse estudo (77,42%), o que indica que estas espécies são potenciais na restauração de áreas degradadas localizadas na Mata Atlântica ao longo do estado.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA PAULA DO NASCIMENTO PRATA
Externo à Instituição - MARLA IBRAHIM UEHBE DE OLIVEIRA
Presidente - 2350431 - ROBERIO ANASTACIO FERREIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e