UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RAFAEL FEITOSA GOUVEIA
12/07/2017 08:44


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAFAEL FEITOSA GOUVEIA
DATA: 24/07/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Polo de Gestão
TÍTULO: ESTOQUE E DINÂMICA DO CARBONO EM DIFERENTES USOS DA TERRA NA CAATINGA DO ESTADO DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Gases do Efeito Estufa, semiárido, cobertura do solo, densidade aparente, matéria orgânica.
PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

O aquecimento global é um fato, e vem sendo causado pelo aumento nas concentrações dos gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera da Terra. No Brasil, entre as atividades antrópicas que contribuem para o carregamento de GEE para a atmosfera, as mudanças no uso da terra possuem destaque por proporcionar grande parte das emissões totais, e este cenário provavelmente deve ser observado também na Caatinga. Entretanto, para compreender os efeitos do uso da terra na dinâmica de C em solos da região semiárida de Sergipe, é necessário se fazer um inventário dos estoques de C do solo sob diferentes coberturas vegetais. Portanto, este trabalho tem como objetivo avaliar os estoques e também a dinâmica de carbono orgânico em diferentes usos do solo na região semiárida de Sergipe. Para isto foram coletadas amostras de vegetação (arbórea e herbácea), além de abertura de perfis de solo sob diferentes usos da terra na região de Canindé do São Francisco. Os estoques de C da vegetação herbácea estão sendo estimados por pesagem da matéria seca e da vegetação arbórea aérea por equações alométricas. Por sua vez, os estoques de C do solo serão avaliados por combustão seca. Para avaliar os efeitos do uso da terra na dinâmica dos estoques de C do sistema, os estoques de C observados em diferentes usos da terra serão comparados, além da utilização do modelo Century de ciclagem biogeoquímica para criação de cenários de uso da terra, o qual irá auxiliar na compreensão do funcionamento do sistema. Portanto, espera-se avaliar a dinâmica e os estoques de COS sob diferentes tipos de cobertura vegetal e inserir Sergipe numa rede que tem com finalidade propor medidas de mitigação dos efeitos deletérios sobre os ecossistemas dos GEE.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2019940 - ALEXANDRE DE SIQUEIRA PINTO
Externo à Instituição - DÁRIO COSTA PRIMO
Externo à Instituição - RENISSON NEPONUCENO DE ARAUJO FILHO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9