UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 18 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ OLIVEIRA DANTAS
10/07/2017 10:43


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ OLIVEIRA DANTAS
DATA: 24/07/2017
HORA: 09:00
LOCAL: SALA 2
TÍTULO: Susceptibilidade de genótipos de Eucalyptus ao ataque da vespa-da-galha Leptocibe invasa Fisher & La Salle, 2004 (Hymenoptera: Eulophidae)
PALAVRAS-CHAVES: silvicultura; pragas florestais; galhadores
PÁGINAS: 99
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O cultivo de Eucalyptus representa uma importante fonte de renda em diversos países do mundo. Foi introduzido no Brasil em 1904 e em 2012 foram cultivados em cerca de 6,5 milhões de hectares, destinados principalmente a produção de celulose. O crescimento de florestas plantadas favoreceu o surgimento de diversos insetos nativos e exóticos que se tornaram pragas, entre eles a vespa-da-galha Leptocybe invasa. Esta vespa é exótica (Oriente Médio e Mediterrâneo), sem predadores naturais locais, mede entre 1,0 e 1,4 mm de comprimento, se reproduz por partenogênese telítoca, seu ciclo de vida de ovo a adulto e de 130 a 140 dias, tendo uma longevidade entre 3 e 6,5 dias e neste intervalo produz de 80 a 100 ovos. Os ovos são depositados no interior da nervura central das folhas, pecíolos e ramos jovens de Eucalyptus induzindo a formação de galhas que são alterações (hiperplasia e hipertrofia) dos tecidos vegetais provocadas pelo desenvolvimento de larvas e pupas dessa vespa e consequentemente impede o crescimento natural da planta com perda de valor comercial. Na busca por plantas que produzam celulose com alto grau de pureza a hibridização de Eucalyptus é uma prática comum, resultando em diferentes genótipos, sendo que alguns destes genótipos são suscetíveis em diversos níveis a oviposição da vespa Leptocybe invasa e formação de galhas. A susceptibilidade e a resistência podem está relacionadas a fatores físicos e, ou químicos, desta forma o objetivo deste trabalho é analisar se existem diferenças estruturais e químicas entre os genótipos susceptíveis e resistentes, através da análise anatômica comparativa destes órgãos e análise da composição química de óleos essenciais, no intuído de com base em todas as informações reunidas selecionar genótipos resistentes e adaptados para cultivo na região.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1352277 - GENESIO TAMARA RIBEIRO
Interno - 1692351 - LEANDRO BACCI
Externo à Instituição - MARCELO DA COSTA MENDONCA
Interno - 2483844 - RENATA SILVA MANN

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e