UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 31 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCOS GABRIEL DO NASCIMENTO JUNIOR
10/07/2017 07:49


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCOS GABRIEL DO NASCIMENTO JUNIOR
DATA: 17/07/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: ANÁLISE COMPARATIVA DE PACIENTES TABAGISTAS COM E SEM DPOC COM SUSPEITA DE ISQUEMIA MIOCÁRDICA.
PALAVRAS-CHAVES: DPOC, Tabagismo, Ecoestresse
PÁGINAS: 38
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é caracterizada por uma inflamação progressiva de vias aéreas inferiores de maneira a gerar limitação crônica do fluxo aéreo. Apesar de ser uma doença com manifestações eminentemente respiratória traz consigo vários prejuízos no âmbito sistêmico, de maneira a comprometer o sistema cardiovascular. É uma das principais causas de morte e alto custos para saúde no mundo. O comprometimento cardiovascular é a principal comorbidade da DPOC e de impacto sobre prognostico e mortalidade. A ecocardiografia com esforço e um método de avaliação de isquemia miocárdica, esta pesquisa propõe comparar indivíduos tabagista sem e com DPOC, descrevendo os paramentos de isquemia nos grupos acima referidos. A população do estudo foi composta por tabagistas com suspeita de isquemia miocárdica submetidos ao Ecocardiograma sob Estresse pelo Esforço Físico (EEEF). Foram avaliados 267 pacientes de ambos os sexos, dentre os quais foram divididos em Grupo Tabagista com DPOC (G1) com 121 (45%) participantes e Grupo Tabagista sem DPOC (G2) com 146 (55%) participantes, ambos com suspeita de isquemia miocárdica. O resultado do EEEF no G1 foi significativamente diferente (p <0.001), quando se analisou os parâmetros por tipo de resultado teve maior porcentagem de positivos que o grupo G2. Não existiu diferença significativa com relação a função diastólica e disfunção diastólica do ventrículo esquerdo com p = 0.916 e p = 0.553 respectivamente. Não existiu diferença significativa na comparação da disfunção diastólica do ventrículo esquerdo intragrupos (p = 0.706).Os achados ecocardiográficos demonstraram maior incidência de testes compatível com isquemia no grupo portador de DPOC, ratificando a literatura. A analise do dado E e E’ para constatação de disfunção diastólica do ventrículo esquerdo não houve diferença significante entre os grupos, resultados mantidos quando se comparou os subgrupo de gravidade DPOC de acordo com a classificação do GOLDCom este estudo podemos afirmar que a DPOC tem influência na isquemia miocárdica, as comorbidades da DPOC tem maior prevalência no G1 e não houve diferença da função ventricular na comparação entre G1 e G2. Bem como não existiu diferença em análise de subgrupo de acordo com a classificação do GOLD.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2573323 - ANA KARLA DE SOUZA ABUD
Interno - 426692 - ANTONIO CARLOS SOBRAL SOUSA
Externo à Instituição - JOSE BARRETO NETO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12838-31cfbbda77