UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 28 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: JOSÉ BEZERRA DE ALMEIDA NETO
04/05/2017 15:41


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ BEZERRA DE ALMEIDA NETO
DATA: 09/06/2017
HORA: 08:30
LOCAL: AUDITÓRIO DO PRODEMA-UFS
TÍTULO: SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA APLICAÇÃO DO CASCALHO
PALAVRAS-CHAVES: Indústria de Petróleo. Cascalhos de Perfuração. Sustentabilidade.
PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A indústria de petróleo, em todos os seus segmentos, tem potencial para causar impactos ao meio ambiente. Um dos principais impactos sobre o meio físico, gerado pela indústria de petróleo, está associado à perfuração de poços de petróleo em virtude da geração de diversos resíduos, entre os quais estão os fluidos de perfuração e os cascalhos resultantes da perfuração de poços de petróleo. Estima-se que na região nordeste do Brasil exista atualmente uma quantidade de resíduos da ordem de 100 mil m³ oriundos do processo de perfuração de poços para produção de petróleo e, ainda, em função do crescente número de poços, presume-se uma geração anual de 50 mil m³. Devido à quantidade gerada de cascalhos e seus contaminantes, assim como o tratamento, o transporte, o descarte, e os expressivos custos associados, normalmente há contratempo no gerenciamento destes. O presente estudo tem por objetivo analisar a viabilidade técnica da incorporação dos resíduos de cascalhos de perfuração (RCP) na composição da pasta de cimento, utilizada em poços de petróleo. As propriedades da pasta cimento foram obtidas através da realização de testes laboratoriais de resistência à compressão, tempo de espessamento, reologia, filtrado, água livre e estabilidade da pasta. Os testes de pastas foram realizados no laboratório de cimentação (LabCim) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), utilizando cimento especial, cascalhos originários da formação Muribeca, membro Oiteirinhos, retirados de poços através de fluidos sintéticos. Essa inovação tecnológica revela-se ser economicamente viável, uma vez que a introdução dos cascalhos na composição da pasta de cimento reduz o custo, por volume, de pasta de cimento produzida para as operadoras, diminuindo assim, o volume de cascalhos destinados ao descarte dos mesmos e os custos correspondentes. Como também, socialmente justa, em virtude de conceber uma oportunidade de investimento no processamento e beneficiamento dos cascalhos pela sociedade, proporcionando a geração de emprego e renda. E ambientalmente sustentável, em razão de contribuir com a redução do volume de cascalhos que impactam a natureza, sejam dispostos em aterros industriais ou no subsolo.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Interno - 2579022 - GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
Externo ao Programa - 2193695 - JEFFERSON ARLEN FREITAS
Externo ao Programa - 2632257 - JACQUELINE REGO DA SILVA RODRIGUES
Externo ao Programa - 426680 - GABRIEL FRANCISCO DA SILVA
Externo ao Programa - 2091991 - FLÁVIO GUSTAVO RIBEIRO FREITAS
Externo ao Programa - 2031182 - ACTO DE LIMA CUNHA
Externo ao Programa - 1542165 - JOSE JAILTON MARQUES
Externo à Instituição - TÚLIO YTÉRBIO FERNANDES VALE

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18277-8067e35817