UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: IRLA SUELLEN DA COSTA ROCHA
23/03/2017 10:01


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IRLA SUELLEN DA COSTA ROCHA
DATA: 18/04/2017
HORA: 19:00
LOCAL: OBSCOM
TÍTULO: MUSEU, CULTURA E CRIATIVIDADE: o Museu da Gente e as políticas públicas no Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Políticas Públicas para Museus, Economia dos Museus, Museu da Gente Sergipana
PÁGINAS: 105
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO:

As mudanças nas políticas públicas de cultura entre os anos de 2003-2014, especialmente no que tange a política nacional de museus, trazem à baila os movimentos semânticos sobre os museus e o patrimônio histórico e cultural acerca do debate da criatividade. A presente pesquisa utiliza o Museu da Gente Sergipana Governador Marcelo Déda como objeto empírico e locus de materialização das políticas culturais propostas pelo governo estadual, em consonância com as diretrizes estabelecidas pelo governo federal, através da política nacional de museus. Para situar o museu dentro da temática das políticas públicas foi necessário fazer uma reconstituição conceitual sobre as instituições museais, a partir da proposta de Oliveira (2008), Choay (2008), Funari e Pelegrini (2008 e 2009) que abordam a temática na relação com a política, memória e da história. A partir desse ponto, o que propomos é situar os museus no aspecto da economia criativa que remete à ideia da dimensão econômica proposta pelas políticas públicas dos governos Lula (2003-2010) e Dilma (2011-2014) através da abordagem crítica da Economia Política da Comunicação da Cultura. Por último então escolhemos informações sobre a política para museus em Sergipe e analisamos a programação do Museu da Gente Sergipana por ser um dos museus mais importantes de Sergipe, e do Brasil, pela sua expografia que usa os recursos tecnológicos para narrar a cultura material, imaterial e ambiental do estado. Por meio da análise das atividades do Museu da Gente foi possível perceber o quanto a política pública federal tenta se adequar a uma economia criativa que tem a diversidade cultural como ativo para o desenvolvimento em que a cultura. O Museu como um lugar de tensões e ferramentas criativas e inovadoras para a promoção de novos objetos de consumo cultural. Os resultados encontrados apontam que, em Sergipe, no Museu da Gente Sergipana, o museu não suporta, ainda, a ideia de gerar um serviço que possa movimentar a cadeia produtiva da economia local, uma vez que os museus lidam com paradigmas inerentes a sua composição institucional tal como a gratuidade, o caráter educacional e empreendimento para a formação cultural da população. O que nos permite afirmar que o Museu da Gente constitui-se como um espaço de disseminação de ideias e a visão política sobre a identidade sergipana como constitutivo para a formação de um consumidor local.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2212799 - VERLANE ARAGAO SANTOS
Interno - 426453 - CESAR RICARDO SIQUEIRA BOLANO
Externo à Instituição - RUY SARDINHA LOPES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307