UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MÁRCIO BEZERRA SANTOS
21/03/2017 09:47


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MÁRCIO BEZERRA SANTOS
DATA: 06/04/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO PAPEL DA RESPOSTA IMUNE NA APRESENTAÇÃO CLÍNICA DA HANSENÍASE E O USO DE ANTÍGENOS RECOMBINANTES DE Mycobacterium leprae COMO PERSPECTIVA PARA O DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO E VACINA
PALAVRAS-CHAVES: Hanseníase; Células Th17; Células T Multifunctionais; Antígenos Recombinantes; Imunopatogênese.
PÁGINAS: 195
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

A Hanseníase é uma doença infecciosa crônica e de evolução lenta causada pelo Mycobacterium leprae. Estima-se que uma pequena porcentagem (menos de 1%) dos indivíduos infectados pelo M. leprae desenvolve a doença. Diversos autores sugerem que o padrão genético e variações nos mecanismos da resposta imunológica do paciente influenciam na susceptibilidade ou resistência à doença. Além disso, os estudos mais recentes estabeleceram o papel das respostas de células Th1, Th2 e Treg na imunopatogênese na hanseníase. No entanto, diversos mecanismos da resposta imune que atuam na evolução clínica ainda carecem de esclarecimentos. Diante disso, este estudo teve como objetivo avaliar o papel da resposta imune na apresentação clínica da hanseníase e o uso de antígenos recombinantes de M. leprae como perspectiva para o desenvolvimento de ferramentas de diagnóstico e vacina. Para investigar o envolvimento das células da resposta imune na patogênese da hanseníase, analisamos o perfil de células Th1 e Th17 em lesões e soro de pacientes com hanseníase e controles contactantes. As células T CD4+IL-17+ e que expressam IL-17A, IFN-y e IL-10 foram avaliadas por microscopia confocal em biópsias de lesões de pacientes tuberculóides (HT) e virchowianos (HV). As citocinas inflamatórias foram dosadas em amostras de soro pela técnica de Luminex. As células mononucleares de sangue periférico (PBMC) foram estimuladas com PPD e o fenótipo de células produtoras de citocinas foi determinado por citometria de fluxo. Além disso, dado que as células T CD4 multifuncionais são capazes de secretar simultaneamente combinações de IFN-γ, IL-2 ou TNF-α e que estão envolvidas na diferenciação de células de memória efetora e central em outras infecções, nós hipotetizamos que elas poderiam também contribuir no controle da infecção pelo M. leprae. Para tanto, PBMC de controles contactantes (31) e de pacientes com hanseníase (39 PB e 17 MB) foram incubadas com antígenos recombinantes e brutos (ML2028, MLCS e PPD). Observamos que as lesões de HT tinham mais células CD4+IL-17A+ do que HV. Níveis mais elevados de IFN-γ sérico foram detectados em PB, assim como em pacientes MB com reações hansênicas (MB LR+). Concentrações mais elevadas de IL-17A e IL-1β foram observadas nos soros de PB do que nos pacientes MB. A avaliação das citocinas secretadas nos sobrenadantes de cultura por ensaio multiplex revelou níveis mais elevados de IFN-γ e IL-2 (citocinas da resposta Th1) em células de controles contactantes e PB. As análises multiparamétricas por citometria de fluxo revelaram maior frequência de células T multifuncionais específicas, em controles contactantes, do que em pacientes. Estes resultados indicam que as células Th17 estão associadas a uma resposta inflamatória efetiva que se apresenta nas formas PB, mas não estão associadas à resposta inflamatória durante as reações hansênicas em pacientes MB. Enquanto que as células Th1 estão associadas às formas PB, mas também aos episódios de reação. Nossos dados indicam que controles contactantes, quando estimulados com antígenos recombinantes, produziram mais células T multifuncionais e isto sugere que estas células proporcionam uma resposta imunológica mais eficaz contra a infecção por M. leprae, o que previne o desenvolvimento da hanseníase.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1977523 - DIEGO MOURA TANAJURA
Externo ao Programa - 1146795 - FABRICIA ALVISI DE OLIVEIRA
Interno - 285906 - ROQUE PACHECO DE ALMEIDA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5