UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 15 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DANILLO BARROSO SOUZA
14/02/2017 16:08


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANILLO BARROSO SOUZA
DATA: 17/02/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 04 da Didática VI
TÍTULO: Refúgio, simbiose e comportamento social de Alpheus estuariensis Christoffersen, 1984 (Crustacea: Caridea: Alpheidae)
PALAVRAS-CHAVES: Associação, acasalamento, monopolização, atração químio-olfativa.
PÁGINAS: 32
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A adoção de um estilo de vida simbionte é uma das mais importantes adaptações ambientais presentes em organismos marinhos. Dentre os vários benefícios adquiridos ao associar-se com outra espécie, pode-se destacar a aquisição de um refúgio utilizado para a proteção de condições abióticas adversas bem como para o acasalamento. Estudos atestam que sinais químicos emitidos pelos hóspedes são fundamentais no processo de identificação destes por parte dos simbiontes. Uma vez que os hospedeiros são identificados, os hóspedes passam a viver em associação com estes que, por apresentarem uma ampla variação de aspectos ecológicos propiciam a formação de uma gama de estruturas sociais em seus simbiontes associados. O gênero Alpheus é comumente encontrado com vários outros invertebrados e vertebrados marinhos, tornando o gênero um excelente modelo para testar hipóteses ecológicas. Neste sentido, o objetivo deste trabalho é estudar a possível relação química existente e o padrão de utilização de refúgio de espécies associadas às tocas de A. estuariensis bem como testar se a hipótese da monopolização econômica de recursos e o sistema de acasalamento (dois aspectos do comportamento social) a ser verificado corroboram com suas premissas teóricas, utilizando esta espécie como modelo. Para tanto, o estudo será dividido em duas etapas. Na primeira será testada a hipótese nula de monogamia bem como a ausência de comportamento de guarda do refúgio. Serão amostradas 100 tocas de A. estuariensis em duas áreas do estuário do Rio Vaza-Barris utilizando cores de 23 cm e abundancia destas será estimada por meio de 30 réplicas realizadas com uma estrutura quadrada de 1,20m². A maturidade sexual morfológica de A. estuariensis será estimada e apenas os indivíduos adultos serão utilizados para as análises referentes ao sistema de acasalamento como, distribuição populacional, a influência da presença de ovos em fêmeas e de seus respectivos estágios sobre a frequência de machos, dimorfismo sexual, razão sexual bem como relações de tamanho entre machos e fêmeas encontrados em uma mesma toca. Na segunda etapa, serão realizados experimentos de preferência químio-olfativa e de atração visual. Será testado se A. estuariensis é atraído quimicamente por Gobionellus sp bem como se Salmoneus carvachoi é atraído por A. estuariensis. Para tanto, será utilizado um aparato de escolha formado por três câmaras. Estas são constituídas por uma câmara central, na qual os organismos testados serão posicionados, e duas câmaras laterais. Serão realizados 2 experimentos ambos com 2 tratamentos no que se refere ao conteúdo das câmaras laterais: Água do Mar x Água do Mar (controle) e Água do Mar x Água contendo o hospedeiro. Serão realizadas 30 réplicas em cada tratamento. Será testado se Gobionellus sp e S. carvachoi tem atração visual por A. estuiariensis. Para tanto, serão utilizados aquários (20x10x10 cm) contendo água do mar (26°C, 35‰). Estes serão divididos em 3 compartimentos, um central e dois laterais. Os organismos a serem testados serão colocados na região central com uma estrutura de PVC e aclimatados por 5 minutos. Em seguida, estes serão liberados e lhes serão permitidos escolher um dos lados do aquário em relação à presença ou ausência de A. estuariensis nos compartimentos laterais. Serão realizados 2 tratamentos com 30 réplicas em cada experimento em relação aos compartimentos laterais: A e B vazios (controle) e A ou B contendo A. estuariensis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1775420 - GUSTAVO LUIS HIROSE
Interno - 2019137 - BIANCA GIULIANO AMBROGI
Interno - 1687626 - MARCELO FULGENCIO GUEDES DE BRITO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b