UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: KARLA CRISTINA SANTOS FREIRE
03/02/2017 15:49


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KARLA CRISTINA SANTOS FREIRE
DATA: 21/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Reunião do Núcleo de Estudos em Sistemas Coloidais (NUESC), Instituto de Tecnologia e Pesqui
TÍTULO: Prospecção da Comunidade Microbiana de Mangue de Sergipe para Aplicação em Processo de Biorremediacao .
PALAVRAS-CHAVES: hidrocarbonetos, policiclicos aromáticos, biodegradávele micro-organismos
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Microbiologia
SUBÁREA: Microbiologia Aplicada
RESUMO:

RESUMO

Manguezais tropicais são considerados um dos ecossistemas mais produtivos do mundo, sendo caracterizados pela alta taxa de ciclagem de matéria orgânica e nutrientes que ocorre entre os oceanos e os ambientes terrestres. A contaminação do solo de manguezal por hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs) tem como causa, a ação antropogênica devido à produção destes pela indústria, extração, transporte e refino do petróleo e de seus derivados. Microrganismos presentes neste ecossistema são uma das alternativas de degradação de HPAs através da biorremediação. Diante disso, este estudo propõe-se em caracterizar e investigar a biodegradação in vitro do fluoranteno, fenantreno e pireno utilizando microorganismos nativos de sedimentos de três áreas preservadas de manguezal de Sergipe, assim como, desenvolver o encapsulamento de consórcios bacterianos biodegradadores de HPAs. As amostras foram coletadas em triplicatas em três regiões de Sergipe. Foram aferidas as características físico-químicas dos sedimentos coletados, como condutividade elétrica, pH e salinidade, granulometria e matéria orgânica. Em seguida amostras dos sedimentos foram enriquecidas e inseridas em meio salino MSM com a adição dos HPAs: fenantreno (Fen), fluorantreno (Flu) e pireno (Pir) nas concentrações de 10 e 50 mg.L-1, ph aferido para 7,2. Após o preparo do inoculo, as amostras foram submetidas à rotação de 150 rpm em shaker, a 20ºC ±2 por 14 dias, onde foram aferidas as concentrações de HPAs residuais por cromatografia gasosa por ionização em chama (GC-FID). Ao final, amostras foram inoculadas em ágar nutriente para avaliação de crescimento microbiano e isolamento, para identificação através de sequenciamento. Os dados de altura dos picos (GC-FID) referentes à intensidade dos picos no cromatograma, correspondentes aos tempos de retenção dos HPAs, foram apresentados na forma de valores percentuais de detecção. Os valores das propriedades físico-químicas selecionadas para as amostras de solo caracterizaram os sedimentos das diferentes regiões do estado, com o intuito de se verificar as possíveis influências destes sobre os processos biológicos e químicos dos meios, além de revelar características próprias de cada região coletada. Observou-se também o desenvolvimento significativo de bactérias coco, cocobacilos e bacilos Gram negativas. As áreas de picos dos HPAs sofreram redução significativa entre os dados iniciais (dia 0) e finais (dia 13) nas concentrações analisadas, correspondendo a uma redução de 100% dos HPAs na concentração de 10 mg.L-1 pelas bactérias das regiões de Brejo Grande e Ponta do Saco. Redução que também é observada nas concentrações de 50 mg.L-1 dos HPAs, com índices superiores à 70%, com exceção do Fen que obteve 30% de degradação pelas bactérias da região de Matapoã. Com relação ao encapsulamento dos consócios bacterianos HPA-degradantes, observou-se que o consórcio 1 (C01) e consórcio 2 (C02) com três estirpes bacterianas distintas foram os que melhor se adaptaram as condições necessárias, sendo então usadas para os testes de biodegradação. Verificou-se que as cápsulas bacterianas de C01 apresentaram as maiores taxas de degradação, com 29,80% (Flu), 58,01% (Pir) e 69,71% (Fen) na maior concentração observada. Diante dos resultados obtidos, observa-se que os manguezais possuem características exclusivas, com a presença de organismos distintos, revelando um potencial na biorremediação, além de outros produtos biotecnológicos e industriais a serem explorados.



MEMBROS DA BANCA:

Interno à Instituição: Dr. Ricardo Luiz Cavalcante Albuquerque Júnior- Doutorado em Patologia Oral pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2002). Atualmente é pesquisador do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (Aracaju/SE), além de Professor Titular de Patologia Oral e Maxilofacial do Curso de Odontologia e Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente (Mestrado/Doutorado), ambos da Universidade Tiradentes (Aracaju/SE), e Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação da Rede Nordeste de Biotecnologia (RENORBIO).Email: ricardo.patologia@uol.com.br
Interno à Instituição: Dra. Juliana Cordeiro Cardoso – Doutorado em Ciências Farmacêuticas pela Universidade de São Paulo (2005). Atualmente é pesquisadora do Instituto de Tecnologia e Pesquisa e professor titular da Universidade Tiradentes. Diretora de Pesquisa da Universidade Tiradentes Email: juaracaju@yahoo.com.br
Externo à InstituiçãoDra. Ana Veruska Cruz da Silva – Doutorado na área de Pesquisado da Embrapa Tabuleiros Costeiros.Email: ana.veruska@embrapa.br


Presidente: Dr. Ricardo Luiz Cavalcante Albuquerque Júnior


SUPLENTES:
Externo à Instituição:
Nome do Suplente 01: Luiz Pereira da Costa - Doutorado na área Química pela UNICAMP (2011). Pesquisador do Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP), professor titular da Universidade Tiradentes.Email: lupeco7@hotmail.com

Nome do Suplente 02: Ana Da Silva Lédo - Doutorado em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal do Ceará (2001). Pesquisadora da Embrapa Tabuleiros Costeiros.Email: ana.ledo@embrapa.br

(ANEXAR JUNTO COM ESTA DOCUMENTAÇÃO: OS ARTIGOS PUBLICADOS OU SUBMETIDOS E/OU PATENTE)


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA DA SILVA LEDO
Externo à Instituição - ANA VERUSKA CRUZ DA SILVA MUNIZ
Interno - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo à Instituição - JULIANA CORDEIRO CARDOSO
Externo à Instituição - LUIZ PEREIRA DA COSTA
Presidente - 849.876.344-49 - RICARDO LUIZ CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE JUNIOR
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307