UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: ARIVANIA SANTOS PEREIRA
01/02/2017 10:22


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ARIVANIA SANTOS PEREIRA
DATA: 27/02/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Sala Multiuso do PPEC
TÍTULO: Frugivoria por morcegos (Chiroptera: Phyllostomidae) em Mata Atlântica no Nordeste: ecologia alimentar e padrões germinativos de sementes após passagem pelo sistema digestivo
PALAVRAS-CHAVES: interação morcego-planta, dispersão de sementes, delineamento experimental, endozoocoria
PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A quiropterocoria tem sido apontada como o meio mais efetivo de dispersão nos trópicos, 549 espécies de plantas neotropicais já foram compiladas em análises de dispersão por morcegos. Entender os processos que interferem na escolha do item a ser disperso, bem como os mecanismos que atuam na efetividade da dispersão de sementes, são etapas imprescindíveis no avanço do entendimento das interações morcego-planta. Esse estudo se propôs a avaliar a ecologia alimentar de um grupo de Carollia perspicillata, avaliando também o efeito da endozoocoria da referida espécie e de Platyrrhinus lineatus nos padrões de germinação das principais espécies vegetais por elas consumidas. O estudo foi realizado em duas áreas de Mata Atlântica. A primeira, trata-se de um abrigo sob-rocha calcaria, habitada por morcegos da espécie Carollia perspicillata no município de Laranjeiras-Sergipe. A segunda área, foi o campus da Universidade Federal de Sergipe, que contempla um agrupamento de Platyrrhinus lineatus residentes a pelo menos cinco anos. As coletas das fezes para análise da endozoocoria por P. lineatus e C. perspicillata, e dieta deste último, foram realizadas por meio de duas lonas plásticas estendidas abaixo dos agrupamentos das respectivas espécies, durante 72 horas/mês no período de um ano. Paralelamente, foram realizadas observações fenológicas. Os testes de germinação foram realizados em condições ambientes e formados por dois tratamentos, um grupo controle e um grupo teste. Cada tratamento foi formado por quatro réplicas, com 400 semente cada, por espécie. Foi considerado o tempo médio de germinação (TMG), o índice de velocidade da germinação (IVG), a sincronia e a germinabilidade das sementes por tratamento. No tocante a ecologia alimentar, foram obtidas aproximadamente 323.400 sementes, classificadas em 16 espécies e 12 famílias. As espécies sinzoocóricas encontradas representaram a menor parcela da amostra geral de sementes (n=5), que foi predominada por sementes endozoocóricas (n=11). Cinco dessas espécies (Annona montana, Syagrus coronata, Senna gerorgica, Aegiphila vitelliniflora e Chomelia obtusa), estão sendo reportadas pela primeira vez na dieta do grupo. As espécies com maiores números de sementes encontradas nos abrigos foram Piper amalago (n= 160.594), Solanum paniculatum (79.322) e Maclura tinctoria (60.691). Embora o número de sementes de P. amalago tenha sido consideravelmente maior, não foram observadas diferenças significativas entre o consumo dessas três principais espécies de modo geral, bem como nos distintos períodos do ano. A riqueza de espécies vegetais na dieta, também não diferiu significativamente entre os períodos do ano. C. perpicillata manteve neutro os padrões germinativos da espécie M. tinctoria. Em P. amalago, a endozocoocoria também foi neutra para germinabilidade, porém o TMG, o IVG e a Sincronia das sementes do grupo teste foram significativamente menores do que as do grupo controle. À exceção da germinabilidade do grupo teste que foi maior que o controle, os parâmetros germinativos de S. paniculatum mantiveram-se neutros. Para P. lineatus, à exceção do TMG do teste, que foi significativamente menor que o grupo controle, não foram observadas diferenças significativas para S. paniculatum. C. perspicillata demonstrou aumentar significativamente a germinabilidade de S. paniculatum em relação P. lineatus. Os dados desse estudo evidenciam o papel funcional das referidas espécies de morcegos na efetividade da dispersão. Sugere-se a execução de estudos endozoocóricos com delineamentos experimentais concisos que contemplem a amplitude de variáveis que podem interferir no processo


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1153037 - STEPHEN FRANCIS FERRARI
Interno - 1881178 - MARCOS VINICIUS MEIADO
Interno - 2019114 - SIDNEY FEITOSA GOUVEIA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9