UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 15 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: PHILIPPE CORREIA SOUZA CAMPOS
01/02/2017 10:04


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PHILIPPE CORREIA SOUZA CAMPOS
DATA: 24/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 02 do Polo de Gestão
TÍTULO: Morfometria Geométrica, Dimorfismo Sexual e Avaliação da Atratividade de Cratosomus flavofasciatus (Coleoptera: Curculionidae) ao Feromônio Sintético.
PALAVRAS-CHAVES: Comportamento animal; Marcos anatômicos; Feromônio de Agregação; Olfatômetro em “Y”.
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia Aplicada
RESUMO:

O conhecimento sobre a biologia e o comportamento animal é fundamental para compreensão de como determinado organismo interage com o seu ambiente. A identificação do sexo dos indivíduos é um passo essencial na execução de estudos comportamentais. Um ponto integrante do comportamento animal é a comunicação. Os feromônios são substâncias químicas responsáveis pela comunicação entre indivíduos de uma mesma espécie. Dentre os vários grupos, os insetos são os animais que mais utilizam os feromônios para desempenhar suas atividades fundamentais. Cratosomus flavofasciatus, um coleóptero da família Curculionidae, popularmente chamado de broca-da-laranjeira, é considerado uma das principais pragas do citros, apresentando grande ocorrência em pomares sergipanos. O presente trabalho teve como objetivos: avaliar características morfológicas que permitam a diferenciação sexual de C. flavosfaciatus e verificar a atratividade de C. flavosfaciatus para os compostos sintéticos que compõem o feromônio de agregação dessa espécie. Para verificar o dimorfismo sexual de C. flavofasciatus, primeiramente foi feito uma análise de morfometria geométrica utilizando 80 indivíduos adultos de cada sexo. Foram feitos 27 marcos anatômicos (landmarks) na região ventral em cada indivíduo. Os marcos anatômicos 2, 9, 10, 11, 18 e 21 foram os que mais contribuíram para a distinção entre machos e fêmeas, os quais representam a região do rostro, a porção final do abdômen e o final do tórax. Para confirmação do sexo, foi realizada também a retirada da genitália de ambos os sexos. Nas fêmeas foi possível o reconhecimento das seguintes estruturas: esternito VIII e bursa copulatrix. Já nos machos foi possível observar a espícula gastral e o edeago com par de parâmeros. A Anova de Procrustes demonstrou diferença significativa da forma (P < 0,001) e do tamanho (centróide) (P < 0,001) entre os sexos, porém não houve diferença da forma em relação ao tamanho (P = 0,229) bem como da forma em relação ao sexo em conjunto com o tamanho (P = 0,707). A análise de componentes principais demonstrou uma evidente diferenciação entre os sexos com base na região ventral da espécie. Os dois primeiros componentes principais explicaram 51,91% (PC1 + PC2: 39,56% + 12,34%) da variação da forma. A análise de discriminantes indicou diferença significativa (teste de permutação = 10000 permutações; P < 0,001) quanto ao dimorfismo sexual da forma da região ventral e a análise de validação cruzada demonstrou uma pequena sobreposição em decorrência de um indivíduo do grupo de macho estar dentro do grupo de fêmea. A determinação do sexo em adultos de C. flavofasciatus através do último esternito abdominal é tão precisa quanto à dissecação da genitália. A resposta comportamental de C. flavofasciatus aos compostos feromonais sintéticos (mistura de 2-((1R, 2S)-1-metil-2-(prop-1-en-2-il)ciclobutil)etanol (grandisol), (E)-2-(3,3-dimetilciclohexilideno)etanol (álcool E) e (Z)-2-(3,3-dimetilciclohexilideno)etanol (álcool Z)) e para suas plantas hospedeiras Cordia curassavica (Maria-Preta) e Citrus sinensis (Laranjeira) foi avaliada por meio de testes olfativos realizados em um olfatômetro em “Y”. Ambos os sexos foram significativamente mais atraídos para os caules de laranjeira (P < 0,05) que para o ar filtrado. Já os testes com caules de maria-preta atraíram significativamente somente os machos (P = 0,02). Quando os insetos tiveram a oportunidade de escolher entre caules de maria-preta e caules de laranjeira, os machos preferiram os de maria-preta (P = 0,01), já as fêmeas não apresentaram preferência significativa (P > 0,05). A combinação dos voláteis de maria-preta e laranjeira associadas ao feromônio sintético na concentração de 100ppm foi mais atrativa para ambos os sexos (P < 0,05) que para o controle (hexano juntamente com a planta hospedeira). Por outro lado, na concentração de 10ppm, somente a associação com maria-preta atraiu apenas os machos (P = 0,009). Tais resultados podem ser utilizados como base para testes de campo, contribuindo para o desenvolvimento de um método ambientalmente seguro e eficaz para o monitoramento da broca-da-laranjeira.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2019137 - BIANCA GIULIANO AMBROGI
Externo ao Programa - 1352277 - GENESIO TAMARA RIBEIRO
Externo à Instituição - SINARA MARIA MOREIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b