UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ALYNE FONTES RODRIGUES DE MELO
01/02/2017 09:30


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALYNE FONTES RODRIGUES DE MELO
DATA: 24/02/2017
HORA: 13:00
LOCAL: Sala Multiuso do PPEC
TÍTULO: TOLERÂNCIA AO DÉFICIT HÍDRICO EM PLÂNTULAS DE TAMBORIL PROPAGADAS ATRAVÉS DE SEMENTES HIDROCONDICIONADAS PARA PROJETOS DE RESTAURAÇÃO ECOLÓGICA DA CAATINGA
PALAVRAS-CHAVES: memória hídrica, sementes, restrição hídrica.
PÁGINAS: 17
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

A Caatinga exige das espécies adaptações às condições ambientais únicas, tais como, altas temperaturas, associadas à alta intensidade luminosa, devido à baixa precipitação pluvial as sementes de muitas espécies têm água disponível para embebição por um curto período. Essas sementes podem apresentar uma “memória hídrica”, a qual preserva as características resultantes da hidratação prévia e ativa genes específicos sendo capaz de resistir à dessecação, bem como as plântulas, que podem apresentar maior vigor e crescimento, quando oriundas de sementes submetidas a ciclos de hidratação e secagem. O objetivo deste estudo foi avaliar a tolerância ao estresse hídrico em plântulas de tamboril [Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong (Fabaceae)], propagadas por sementes que foram induzidas a ciclos artificiais de hidratação/desidratação antes da germinação, com a finalidade de observar a ocorrência de memória hídrica nas plântulas. A principal hipótese é que a memória hídrica das sementes se perpetua no próprio indivíduo, favorecendo o estabelecimento da plântula. O trabalho será desenvolvido na estufa agrícola e Laboratório de Fisiologia e Ecofisiologia Vegetal da Universidade Federal de Sergipe. Após passar pelo processo de superação de dormência tegumentar, as sementes de tamboril serão submetidas a 0, 1, 2 e 3 ciclos de hidratação e desidratação (HD). As sementes hidrocondicionadas serão colocadas para germinar em bandejas contendo areia lavada e darão origem a 60 plântulas que serão irrigadas diariamente por 15 dias. O delineamento experimental será inteiramente casualizado, adotando-se quatro tratamentos de hidratação descontínua das sementes: nenhum ciclo (T0), um ciclo (T1), dois ciclos (T2) e três ciclos (T3). Cada tratamento contará com 15 repetições (plantas), das quais cinco serão regadas diariamente (plantas controle), cinco terão a rega interrompida por sete dias (plantas E7), e as cinco restantes ficarão sem rega por 14 dias (plantas E14). As 60 plantas serão avaliadas quanto aos parâmetros fisiológicos de desenvolvimento inicial, relações hídricas, danos membranares, concentração dos pigmentos fotossintéticos e acúmulo de solutos orgânicos osmoticamente ativos. Os resultados dos parâmetros fisiológicos serão submetidos à análise de variância (ANOVA) com dois fatores (ciclos HD e tratamentos hídricos), esquema fatorial 4 x 3 e as médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2207731 - CARLOS DIAS DA SILVA JUNIOR
Externo à Instituição - LAURO RODRIGUES NOGUEIRA JUNIOR
Presidente - 1881178 - MARCOS VINICIUS MEIADO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9