UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 13 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: ROMY GLEYSE CHAGAS BARROS
30/01/2017 16:52


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROMY GLEYSE CHAGAS BARROS
DATA: 22/02/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Laboratório de Flavor e Analises Cromatográficas - Sala de Aula
TÍTULO: OBTENÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS PELO PROCESSO BIOTECNOLÓGICO PROMOVIDO POR MICRO-ORGANISMOS ENDOFÍTICOS E RESÍDUOS DE FRUTAS TROPICAIS.
PALAVRAS-CHAVES: Micro-organismos endofíticos, Fermentação submersa, Frutas exóticas, Compostos bioativos.
PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Ciência e Tecnologia de Alimentos
RESUMO:

Micro-organismos endofíticos tem recebido atenção das indústrias alimentícias, químicas e farmacêuticas devido ao enorme potencial de produção de substâncias biologicamente ativas com atividade antioxidante, antialérgica, anti-inflamatória. A aplicação de resíduos agrícolas em bioprocessos tem se destacado como fonte secundária de energia em processos fermentativos. O achachairu (Garcinia humilis), o araçá-boi (Eugenia stipitata) e a bacaba (Oenocarpus bacaba) são frutas tropicais exóticas produzidas no Brasil e que possuem poucos estudos científicos relacionados à sua caracterização e possibilidade de utilização de seus resíduos. Dessa forma, o aproveitamento dos resíduos dessas frutas torna-se uma estratégia viável para a bioconversão de seus substratos em compostos bioativos. O presente trabalho propõe o isolamento de micro-organismos endofíticos das frutas citadas com a finalidade de obtenção de compostos bioativos através do processo de fermentação submersa. Isolados endofíticos das três frutas foram inoculados em meio sintético (YM) para avaliação da capacidade de produção de compostos fenólicos, a partir dos resultados obtidos selecionou-se o micro-organismo considerado mais promissor na síntese de compostos bioativos, o qual foi submetido a uma nova fermentação utilizando-se os resíduos dos frutos (achachairu, bacaba, araçá-boi e coco). O resíduo da bacaba foi considerado o mais promissor para execução do processo biotecnológico e através dessas definições (cepa microbiana e resíduo) se realizou dois planejamentos experimentais (Plackett-Burman e DCCR) para estabelecimento da condição otimizada para a obtenção de polifenóis, sendo essa pH 8,62 e extrato de levedura 3,0 g/L. A identificação dos micro-organismos isolados foi realizado através do sistema MALDI-TOF MS. A fermentação foi realizada em biorreator com capacidade para 5,0 L e nessa condição obteve resultados próximos ao da fermentação desenvolvida em bancada. Os compostos fenólicos produzidos pela cepa, identificada como Rhodotorula glutinis, foram quantificados pelo sistema LC MS/MS, cujos valores demonstraram um aumento significativo de 94,06% e 27,81% em relação aos compostos catequina e rutina, respectivamente. Observou-se, ainda, a produção intracelular de outros compostos como isohamnetina, luteonina, caempferol e carotenoides. Assim sendo, concluiu-se que a fermentação do resíduo da bacaba através do micro-organismo Rhodotorula glutinis tem potencial para obtenção de compostos fenólicos e carotenoides concomitantemente e apresenta um escopo promissor para o estímulo de novos estudos biotecnológicos a partir de resíduos de frutas ainda inexploradas, capazes de promover a síntese de compostos com alto valor agregado aplicáveis em diversos setores industriais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 6330812 - NARENDRA NARAIN
Interno - 2481282 - ALESSANDRA ALMEIDA CASTRO PAGANI
Externo à Instituição - MARINA DENADAI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15368-99f189d34b