UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: SHEILA JAQUELINE GOMES DOS SANTOS OLIVEIRA
30/01/2017 07:11


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SHEILA JAQUELINE GOMES DOS SANTOS OLIVEIRA
DATA: 31/01/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27
TÍTULO: Ansiedade, depressão e qualidade de vida em mães de recém-nascidos em Unidade de Terapia Intensiva.
PALAVRAS-CHAVES: Depressão, Ansiedade, Qualidade de vida, Recém-nascido.
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Enfermagem
RESUMO:

Introdução. A hospitalização de um recém-nascido (RN) em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) acarreta às mães mudanças significativas em sua vida, em decorrência da nova dinâmica institucional à qual está inserida e ao permanente estado de vigília frente à vida e morte do RN. Objetivo. Avaliar os níveis de ansiedade, depressão e qualidade de vida em mães de RNs internados em UTIN no estado de Sergipe. Método: Trata-se de um estudo de coorte prospectiva incluindo 125 mães (≥ 18 anos de idade) de RN admitidos na UTIN com tempo de internamento igual ou superior a 24 horas e 102 mães (≥ 18 anos de idade) de RNs saudáveis admitidos em alojamento conjunto. O período de recrutamento ocorreu de 01 de setembro de 2015 a 31 de maio de 2016, sendo 31 de julho de 2016 a data-limite de seguimento intra-hospitalar. A coleta de dados para as mães de RNs internados em UTIN foi realizada em dois momentos, a partir de 24 horas da admissão e na alta hospitalar. Para as mães em alojamento conjunto foi feita em um único momento nas primeiras 24 horas de internamento. Os seguintes desfechos centrados nas mães foram avaliados no presente estudo: ansiedade (Inventário de Ansiedade Traço-Estado), depressão (Inventário de Depressão de Beck) e qualidade de vida (WHOQoL-BREF). Também foram coletados dados econômicos, sociodemográficos, obstétricos e neonatais. Resultados: Foram encontradas alterações significativas nos níveis de ansiedade (escore médio >49 pontos), bem como níveis leves a moderados de depressão (escore médio 10-18) nas mães de RNs em UTIN, além de baixos escores nos domínios físico, psicológico e social de qualidade vida comparado às mães de alojamento conjunto. Observou-se a redução dos níveis de ansiedade e depressão e melhora dos escores de qualidade de vida no momento da alta hospitalar. Maiores níveis de ansiedade-estado foram encontrados em mulheres com gravidez indesejada (P=0.009) e com parto cesáreo (P=0.027). Mulheres com gravidez indesejada também apresentaram menores escores nos domínios social (P=0.019) e ambiental (P<0.001) comparadas aos controles. O tempo de internamento esteve relacionado a maiores níveis de ansiedade-traço (P=0.035) e depressão (P=0.001) e pior saúde física (P=0.078) e psicológica (P=0.053). Conclusão: O estudo demostrou que o ambiente da UTIN é um fator associado a altos níveis de ansiedade e depressão e baixos níveis de qualidade de vida, especialmente entre mães com gravidez indesejada e submetidas ao parto cesáreo. Os achados ainda sugerem que o tempo de internamento na UTIN está associado ao aumento do estresse psicológico e diminuição na saúde física das mães. Os resultados são limitados ao ambiente intra-hospitalar. Portanto, esta coorte deve ser acompanhada para avaliação dos níveis de ansiedade, depressão e qualidade de vida no seguimento domiciliar a longo prazo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - DÉBORA CRISTINA FONTES LEITE
Presidente - 3545451 - PAULO RICARDO SAQUETE MARTINS FILHO
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5