UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MAURÍCIO LIMA PODEROSO NETO
24/01/2017 10:50


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAURÍCIO LIMA PODEROSO NETO
DATA: 30/01/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU sala 27
TÍTULO: Eletroacupuntura em lombalgia crônica inespecífica: estudo clínico randomizado e controlado por placebo
PALAVRAS-CHAVES: Eletroacupuntura, Dor, Lombalgia, Fisioterapia, Ensaio Clínico
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

Introdução: Segundo a Organização Mundial de Saúde, cerca de 80% da população terá, pelo menos, uma crise de dor lombar durante a sua vida. Essa elevada prevalência classifica o sintoma como segundo mais prevalente na população adulta. Associadas a este sintoma, são encontradas diversas morbidades e incapacidades, causando grande impacto na vida do indivíduo e da sociedade a que pertence. Incapacidades físicas, restrições laborais, redução na qualidade de vida, depressão e outros acometimentos psicológicos são descritos na literatura com forte associação a lombalgia. Por esta elevada prevalência e diversidade de efeitos biopsicossociais da lombalgia, a comunidade acadêmica vem cada vez mais procurando traçar diretrizes para abordagens e tratamentos mais eficazes. A eliminação dos fatores de risco, a terapia medicamentosa, a reeducação dos pacientes e principalmente a utilização de recursos elétricos e manuais da fisioterapia vem ganhando destaque. Dentre as terapias que fazem uso de correntes elétricas, a eletroacupuntura (EA) surge como uma alternativa de baixo custo e com ampla aplicação. O presente estudo objetivou averiguar se a eletroacupuntura é eficaz na redução da intensidade de dor, melhora da capacidade funcional e qualidade de vida em pacientes com dor lombar crônica inespecífica não irradiada. Métodos: Foram triados 200 voluntários, dos quais 51 apresentavam todos os requisitos descritos nos critérios de inclusão e, assim, foram encaminhados para a avaliação e tratamento. Vinte e cinco voluntários foram alocados de forma aleatória no grupo eletroacupuntura (GEA) e 26 no grupo eletroacupuntura placebo (GEAP). Mensurações de dor (escala numérica de dor e questionário de McGill), sensibilidade superficial (estesiometria), limiar de dor por pressão (algometrial), avaliação de amplitude de movimento (goniometria digital), avaliações psicoemocionais (escala de catastrofização da dor, escala de cinesiofobia de Tampa, Fear Avoidance Beliefs Questionnaire), avaliações de funcionalidade motora (Oswestry Disability Index e questionário de Roland Moris) e qualidade de vida (EQ-5D). A avaliação por meio da escala numérica de dor, limiar sensitivo e algometria foram realizadas a cada sessão pré e pós-tratamento, já os outros instrumentos foram aplicados antes da 1ª sessão e após a 10ª sessão. Resultado: A amostra foi composta por 19 mulheres (54,3%) e 16 homens (45,7%). A comparação entre os grupos EA e EAP no tocante a intensidade de dor em repouso após a 10a sessão mostrou uma diferença estatisticamente significativa (p = 0,034). Houve também uma redução da sensibilidade cutânea na região lombar bilateralmente (p = 0,030 lado direito e p = 0,036 lado esquerdo) nos pacientes tratados com EA na 10a sessão quando comparada com a EAP. A comparação entre as intensidades de dor em movimento após a 1ª e após a 10ª intervenções mostraram diferença significativa no GEA (p =0,045). Estes mesmos dados quando avaliados no GEAP não mostraram diferença estatística (p = 0,230). Houve também redução do impacto da dor na funcionalidade quando avaliamos os dados da 1ª e 10ª sessões do GEA (p = 0,013). Já os mesmos dados no GEAP não mostraram diferença estatística (p = 0,141). Conclusão: O método eletroacupuntura parece diminuir a intensidade de dor ao repouso e ao movimento, reduzir o limiar cutâneo na região lombar bilateralmente, reduzir o impacto da dor sobre a funcionalidade e, assim, pode ser utilizado como modalidade terapêutica em pacientes com dor lombar crônica inespecífica não irradiada.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Externo ao Programa - 2584323 - DANILO RIBEIRO GUERRA
Externo ao Programa - 2693948 - MIBURGE BOLIVAR GOIS JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307