UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ALAN SANTOS OLIVEIRA
05/01/2017 09:32


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALAN SANTOS OLIVEIRA
DATA: 19/01/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU Sala 26
TÍTULO: Atividade anti-inflamatória, antinociceptiva e antioxidante do extrato etanólico de Leonurus sibirucus L. (Lamiaceae)
PALAVRAS-CHAVES: inflamação; nocicepção; estresse oxidativo; planta medicinal, Leonurus sibiricus L.
PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A inflamação é um componente importante no desenvolvimento de diversas patologias cujo processo primário é o recrutamento de leucócitos provocando lesão tecidual. A necessidade de novos compostos para tratar esta condição é iminente. Neste contexto, as plantas medicinais representam uma alternativa viável para este fim. A Leonurus sibiricus L. é uma planta tradicionalmente utilizada para tratar a inflamação e faltam estudos que dêem suporte a este uso. O presente estudo teve como objetivo investigar os efeitos antioxidante, antinociceptivo e anti-inflamatório do extrato etanólico de partes aéreas de L. sibiricus. O conteúdo total de fenólicos e flavonoides, bem como a análise cromatográfica por cromatografia líquida de alta performance foram realizados para caracterizar o extrato etanólico do Leonurus sibiricus (EELS). Foram realizados os ensaios de capacidade antioxidante por eliminação de radicais 2,2-difenil-1-picril-hidrazila (DPPH), 2,2'-azinobis (ácido 3-etilbenztiazolino-6-sulfónico (ABTS), óxido nítrico (NO), inibição da peroxidação lipídica e o poder antioxidante de redução férrica (FRAP) para medir o efeito antioxidante do EELs in vitro. Camundongos machos Swiss (20-30 g, n = 8/grupo) foram utilizados para avaliar o efeito do EELs in vivo. Na nocicepção induzida por formalina (1%) na pata, os animais foram pré-tratados com veículo (solução salina 0,9% + Tween 80 0,2%), EELs (100, 200 ou 400 mg/kg, v.o.), aspirina (300 mg/kg, i.p.) ou morfina (3 mg/kg, i.p.). No edema de orelha induzido por 12-O-tetradecanoilforbol-acetato (TPA, 20 µg/orelha), os animais foram tratados com acetona (veículo), EELs (0,3, 1 ou 3 mg/orelha) ou dexametasona (0,5 mg/orelha) concomitantemente ao TPA e foram medidas espessura, a atividade de mieloperoxidase (MPO), as concentrações do fator de necrose tumoral (TNF)-α e interleucina (IL)-1 e a peroxidação lipídica na orelha. Os resultados foram expressos como média ± SEM e analisados por análise de variância seguido pelo teste de Tukey. p<0,05 foi considerado significativo. Os conteúdos de fenólicos totais e flavonoides no extrato foi de 60,1 ± 0,1 mg/g de equivalentes de ácido gálico e 15,4 ± 0,1 mg/g de EC, respectivamente. No perfil cromatográfico do EELs foram identificados ácido clorogênico, ácido cafeico, ácido ferrúlico, ácido p-cumárico e quercetina. Observou-se diminuição significativa do radical DPPH e do NO a partir de 50 μg/mL de EELs, bem como do radical ABTS a partir de 2500 µg/mL do ELLs. Aumento significativo no potencial de redução foi detectado pelo do ensaio de FRAP a partir de 50 μg/mL de EELs. Este extrato também reduziu a peroxidação lipídicaespontânea ou induzida por FeSO4 a partir de 100 µg/mL. O tratamento de camundongos com EELs (400 mg/kg) reduziu (p<0,05) o tempo de lambida/mordida na segunda fase do teste da formalina em comparação com o grupo veículo, bem como o tratamento com morfina e aspirina (p<0,05 cada). O tratamento com morfina, mas não com EELs ou aspirina, diminuiu o tempo de lambida/mordida na primeira fase do teste de formalina (p<0,05). No edema induzido por TPA, observou-se que a administração tópica do ELLs reduziu a espessura (p<0,05), a atividade de MPO (p<0,05), a produçção de TNF-α e IL-1β (p<0,05) e a peroxidação lipídica(p<0,05) na orelha, bem com aumentou o FRAP neste tecido (p<0,05). Conjuntamente, estes resultados mostram que o EELs possui propriedades anti-inflamatória, antinociceptiva e antioxidante, embasando o uso popular para o tratamento de condições inflamatórias.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1964297 - CRISTIANI ISABEL BANDERO WALKER
Interno - 3571566 - JULLYANA DE SOUZA SIQUEIRA QUINTANS
Externo ao Programa - 1978624 - TAIS CRISTINA UNFER

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5