UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 23 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DANIELLE GOMES SANTANA
19/12/2016 13:49


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELLE GOMES SANTANA
DATA: 19/12/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Centro de Pesquisas Biomédicas/HU
TÍTULO: Evidências sobre o uso de plantas medicinais na pancreatite aguda experimental e avaliação do extrato de cranberry (Vaccinium macrocarpon).
PALAVRAS-CHAVES: pancreatite aguda, Vaccinium macrocarpon; inflamação; plantas medicinais; hiperalgesia; estresse oxidativo; revisão sistemática.
PÁGINAS: 170
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

A pancreatite aguda (PA) é uma condição inflamatória do pâncreas. Evidências pré-clínicas sugerem que as plantas medicinais (PM) podem ser uma alternativa viável ao tratamento da PA. A atividade antioxidante do extrato padronizado da Vaccinium macrocarpon (EpVm) pode ser útil. O objetivo deste estudo realizar uma revisão sistemática que avaliará o uso de PM em modelos pré-clínicos de PA e investigar as propriedades anti-inflamatória, antioxidante e antinociceptiva do EpVm em modelo de PA em camundongos. Para tanto, serão selecionados estudos pré-clínicos de PA em que PM foram utilizados e os desfechos serão comparados ao grupo controle (tratamento placebo). As buscas eletrônicas serão realizadas utilizando-se das bases MEDLINE via PubMed, SCOPUS, Web of Science e Embase, além da “gray literature” (Google Scholar) pela inserção de buscadores. Nenhum idioma será excluído. Dois revisores independentes avaliarão os resultados de pesquisa buscando estudos relevantes. O risco de viés será avaliado por dois revisores independentes que utilizam a ferramenta de risco de viés do Systematic Review Protocol for Animal Intervention Studies (SYRCLE). Os dados dos estudos elegíveis serão extraídos e sintetizados qualitativamente. Para o estudo experimental, a PA foi induzida em camundongos Swiss machos (30-35 g, n = 6 por grupo) por duas injeções sucessivas de L-arginina (4 g/kg, i.p.) e eutanasiados 72 h após a indução. Os animais foram tratados com EpVm (50, 100 e 200 mg/kg, v.o.), ou dexametasona (5 mg/kg, s.c.) ou morfina (5 mg/kg, i.p.) ou veículo (NaCl 0,9%) a cada 24 h, iniciando-se 1 h após indução da PA. Após a eutanásia foram avaliados parâmetros inflamatórios (atividade MPO e concentração de citocinas pró-inflamatórias TNF-α, IL-1β e IL-6 nos tecidos pancreático e pulmonar, contagem de leucócitos no sangue, índice de edema no pâncreas) relacionados ao estresse oxidativo (atividade das enzimas catalase- GAT, superóxido dismutase - SOD e glutationa peroxidase - GSH-Px, formação de malondialdeído - MDA, conteúdo de grupos sulfidrila não proteicos -NP-SH, conteúdo de radicais carbonil e capacidade total de redução do ferro FRAP no pulmão e pâncreas), bioquímicos (amilase sérica, lipase, alanina aminotransferase - ALT, aspartato aminotransferase - AST, concentração de ureia e creatinina no soro) e antinociceptivo (hiperalgesia abdominal). A indução da PA pela L-arginina alterou significativamente todos os parâmetros avaliados em relação ao grupo veículo. O tratamento com EpVm inibiu a hiperalgesia abdominal causada pela PA. Todos os parâmetros inflamatórios: atividade de MPO, concentrações teciduais de citocinas, contagem de leucócitos e índice de edema foram reduzidos quando tratados com EpVm. O tratamento com EpVm inibiu parcialmente alterações nos parâmetros bioquímicos no soro. Atividade das enzimas antioxidantes SOD e CAT foram restauradas após tratamento com EpVm, a atividade de GSH-Px não foi alterada. Os produtos de reação MDA e radical carbonil reduzidos após tratamento com EpVm e -NP-SH foram aumentados, assim como o potencial antioxidante total. Uma revisão sistemática de dados pré-clínicos sobre o uso de PN na PA é necessária para servir de base para pesquisa e prática clínica futura. Além disso, nossos resultados demonstraram que o EpVm diminui a inflamação, o estresse oxidativo e a hiperalgesia na AP, tornando-o de interesse em abordagens futuras para tratar esta condição.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1893534 - ADRIANA ANDRADE CARVALHO
Interno - 1656787 - JOSIMARI MELO DE SANTANA
Externo ao Programa - 1978624 - TAIS CRISTINA UNFER

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5